Escolha as suas informações

Irão. ONU abre investigação à repressão de protestos
Mundo 24.11.2022
Violência

Irão. ONU abre investigação à repressão de protestos

Violência

Irão. ONU abre investigação à repressão de protestos

Foto de arquivo: Julien DE ROSA/AFP
Mundo 24.11.2022
Violência

Irão. ONU abre investigação à repressão de protestos

Lusa
Lusa
O Conselho de Direitos Humanos da ONU lançou, esta quinta-feira, uma investigação internacional à violenta repressão aos protestos no Irão, para reunir provas que possam, mais tarde, servir para julgar os responsáveis.

A resolução apresentada pela Alemanha e Islândia foi aprovada com 25 votos a favor, seis contra e 16 abstenções durante uma reunião de emergência do Conselho de Direitos Humanos em Genebra.

Os protestos foram, inicialmente, desencadeados pela morte, a 16 de setembro, de uma jovem curda de 22 anos, Mahsa Amini, detida três dias antes pela polícia dos costumes iraniana por uso indevido do “hijab”, o véu islâmico.


"Als Frau musst du sehr stark sein": Zwei Monate nach Tod von Mahsa Amnini - Gespräch mit Lux-Iranerin Aida Nazarikhorram
17/11/22 Luxemburg Foto: Sibila Lind
Deixou o Irão para viver no Luxemburgo: "Como mulher, é preciso ser muito forte"
A partir do Luxemburgo, Aida Nazarikhorram está a torcer pelos protestos na sua antiga pátria, o Irão. Ela própria foi detida duas vezes pela polícia da moralidade.

Pelo menos 426 pessoas foram mortas

Aos poucos, os protestos contra o uso da força no Irão foram dando lugar a manifestações de apoio às mulheres, cada vez maiores e em mais cidades, e foram-se estendendo às denúncias de atuação da Guarda da Revolução, unidade de elite do regime do ayatollah Ali Khamenei.

Desde o início dos protestos, pelo menos 426 pessoas foram mortas e mais de 17.400 foram detidas, de acordo com os Human Rights Activists in Iran (Ativistas dos Direitos Humanos no Irão), grupo que monitoriza o movimento de contestação em curso, segundo o qual pelo menos 55 membros das forças de segurança iranianas foram também mortos.

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.