Escolha as suas informações

Irão garante que vai "punir" responsáveis pelo derrube do avião ucraniano
Mundo 14.01.2020

Irão garante que vai "punir" responsáveis pelo derrube do avião ucraniano

Irão garante que vai "punir" responsáveis pelo derrube do avião ucraniano

Foto: AFP
Mundo 14.01.2020

Irão garante que vai "punir" responsáveis pelo derrube do avião ucraniano

"Para o nosso povo é muito importante que quem quer se seja responsável por um ato de negligência seja levado à justiça", explicou o Presidente do Irão, Hassan Rohani.

O Presidente do Irão, Hassan Rohani, disse, esta terça-feira, que o país vai "punir" todos os responsáveis pela queda do avião civil ucraniano atingido por um míssil nos arredores de Teerão no dia 08 de janeiro.

"Para o nosso povo é muito importante que quem quer se seja responsável por um ato de negligência seja levado à justiça", disse Rohani num discurso televisivo transmitido esta manhã em Teerão.

"Todos aqueles que têm de ser punidos vão ser castigados", acrescentou o presidente do Irão.

De acordo com a Associated Press, as autoridades iranianas efetuaram detenções alegadamente relacionadas com o derrube do aparelho.

O governo da República islâmica acabou por reconhecer que o avião das linhas aéreas da Ucrânia, com 176 pessoas a bordo, foi abatido "por erro" por um míssil balístico iraniano, na passada quarta-feira.

O anúncio da responsabilidade das forças armadas do Irão suscitou choque e uma vaga de indignação na capital do Irão.

No sábado à noite, uma cerimónia de homenagem às vítimas transformou-se numa manifestação contra as autoridades, com gritos de "morte aos mentirosos", antes de ser dispersa pela polícia.

No domingo à noite houve outras manifestações de raiva, de uma amplitude difícil de avaliar.

Segundo a agência Associated Press, as forças de segurança iranianas dispararam balas reais e gás lacrimogéneo para dispersar os manifestantes e organizações não-governamentais de defesa de direitos humanos já pediram ao Irão que permita que as pessoas protestem pacificamente, conforme prevê a Constituição. 

Lusa


Notícias relacionadas

Irão-EUA. Água na fervura do caldeirão da guerra
Fosse pela resposta militar do Irão que não provocou vítimas ou pelo recuo de Trump que optou por apenas aplicar mais sanções, o assassinato do general Qassem Soleimani não precipitou a guerra. Mas tanto nos Estados Unidos como no Irão cresce a divisão interna.
TOPSHOT - An elderly Iraqi woman, her face covered with a national flag, cries as she watches anti-government demonstrators protesting in the capital Baghdad's Tahrir square, on January 10, 2020. - Thousands of Iraqis rallied across the country today, reviving a months-long protest movement against the government and adding criticisms of both the US and Iran to their chants. (Photo by AHMAD AL-RUBAYE / AFP)