Escolha as suas informações

Irão. 72 mortes causadas pela polícia em protestos durante a última semana
Mundo 22.11.2022
Protestos

Irão. 72 mortes causadas pela polícia em protestos durante a última semana

Protesto contra as mortes pelas mãos da polícia iraniana.
Protestos

Irão. 72 mortes causadas pela polícia em protestos durante a última semana

Protesto contra as mortes pelas mãos da polícia iraniana.
Vuk Valcic/ZUMA Press Wire/dpa
Mundo 22.11.2022
Protestos

Irão. 72 mortes causadas pela polícia em protestos durante a última semana

AFP
AFP
Mais de 400 pessoas perderam a vida em dois meses de protestos contra o regime, incluindo 51 crianças e 21 mulheres, de acordo com uma ONG.

As forças de segurança iranianas mataram 72 pessoas, incluindo 56 nas regiões curdas, na última semana de protestos contra o regime, disse esta terça-feira a organização Iran Human Rights (IHR). 

O número total de mortos aumentou para 416 desde o início do movimento de protesto desencadeado a 16 de setembro pela morte de Mahsa Amini, mulher curda iraniana de 22 anos, presa pela polícia moral por violar o rigoroso código de vestuário que exige que as mulheres usem o véu em público. Estas mortes incluem 51 crianças e 21 mulheres, de acordo com a  IHR. 

Nos últimos sete dias, a maioria das baixas concentrou-se nas áreas curdas do oeste do Irão, onde Teerão enviou reforços à medida que os protestos aumentam. Realizaram-se manifestações em várias cidades - Mahabad, Javanroud ou Piranchahr - ligadas, sobretudo, a cerimónias fúnebres de pessoas mortas pela polícia.

O grupo de defesa dos direitos curdos iranianos Hengaw, baseado na Noruega tal como o IHR, acusou as autoridades de disparar munição letal contra os manifestantes. 

NetBlocks, site com sede em Londres que monitoriza bloqueios da internet em todo o mundo, disse que o acesso foi bloqueado "durante três horas e meia", na segunda-feira, durante os protestos e também durante o jogo do Campeonato do Mundo em que os jogadores iranianos não cantaram o hino nacional. 


O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas