Escolha as suas informações

Invasão russa. Pelo menos 40 soldados ucranianos e uma dezena de civis mortos
Mundo 24.02.2022 Do nosso arquivo online
Guerra

Invasão russa. Pelo menos 40 soldados ucranianos e uma dezena de civis mortos

Bombardeamentos em Chuguiv, Ucrânia.
Guerra

Invasão russa. Pelo menos 40 soldados ucranianos e uma dezena de civis mortos

Bombardeamentos em Chuguiv, Ucrânia.
AFP
Mundo 24.02.2022 Do nosso arquivo online
Guerra

Invasão russa. Pelo menos 40 soldados ucranianos e uma dezena de civis mortos

Lusa
Lusa
Pelo menos 40 soldados ucranianos e uma dezena de civis foram mortos nas primeiras horas da invasão russa da Ucrânia, disse um conselheiro do Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky.

"Sei que mais de 40 militares ucranianos foram mortos, várias dezenas ficaram feridos e fala-se da morte de uma dezena de civis" em vários pontos do país, disse Oleksiy Arestovych.

O conselheiro do Presidente da Ucrânia adiantou que as baixas foram provocadas pelos bombardeamentos aéreos e pelos disparos de mísseis russos ocorridos esta manhã. O exército russo, até ao momento, não se referiu a baixas no terreno.

Citado pelas agências internacionais, o porta-voz do Ministério da Defesa da Rússia, general Igor Konachenkov, indicou que os "separatistas pró-russos" no leste da Ucrânia alcançaram ganhos territoriais e afirmou que a intervenção russa não visa cidades ucranianas, mas sim "infraestruturas militares, instalações de defesa aérea e aeródromos militares". "A população civil não tem nada a recear", disse o oficial russo.


Relato de Kiev. "Temos uma mochila de emergência preparada para fugir se for preciso"
Nas primeiras horas de uma operação militar da Rússia na Ucrânia, Paulina Nélen não pretende deixar, para já, a capital e acredita que jogada de Vladimir Putin é tática de pressão contra o ocidente.

Cerca de dois mil ucranianos cruzaram a fronteira com a Moldávia desde o início da operação militar da Rússia na Ucrânia, segundo indicou a ministra do Interior moldava, Anda Revenko.

Também está a ser verificado um fluxo de ucranianos que tentam entrar na Roménia em virtude dos novos ataques russos contra o território ucraniano, de acordo com a agência France-Presse.

A Rússia lançou de madrugada uma ofensiva militar em território da Ucrânia, com forças terrestres e bombardeamento de alvos em várias cidades, que as autoridades ucranianas dizem ter provocado dezenas de mortos nas primeiras horas.

O Presidente russo, Vladimir Putin, disse que o ataque responde a um "pedido de ajuda das autoridades das repúblicas de Donetsk e Lugansk", no leste da Ucrânia, cuja independência reconheceu na segunda-feira, e visa a "desmilitarização e desnazificação" do país vizinho.

O ataque foi de imediato condenado pela generalidade da comunidade internacional e motivou reuniões de emergência de vários governos, incluindo o português, e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), União Europeia (UE) e Conselho de Segurança da ONU.

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas