Escolha as suas informações

Inundações. Nove pessoas morreram e dezenas estão desaparecidas na Alemanha
Mundo 8 3 min. 15.07.2021
Mau tempo

Inundações. Nove pessoas morreram e dezenas estão desaparecidas na Alemanha

Mau tempo

Inundações. Nove pessoas morreram e dezenas estão desaparecidas na Alemanha

Foto: AFP
Mundo 8 3 min. 15.07.2021
Mau tempo

Inundações. Nove pessoas morreram e dezenas estão desaparecidas na Alemanha

AFP
AFP
Autoridades estimam entre 50 a 60 pessoas desparecidas em várias comunidades afetadas, na zona ocidental do país.

Nove pessoas morreram e dezenas estão desaparecidas na Alemanha, na sequência do mau tempo e de fortes inundações que assolaram sobretudo a zona ocidental do país.

Centenas de bombeiros têm estado estão a trabalhar, esta quinta-feira, para resgatar residentes de várias comunidades afetadas, temendo-se que o número de vítimas possa aumentar nas próximas horas.

Na cidade de Schuld, a sul de Bona, onde seis casas situadas na margem do rio desabaram, a polícia contou entre 50 e 60 pessoas desaparecidas.

A polícia de Koblenz (Renânia-Palatinado) confirmou a morte de quatro pessoas e várias casas ameaçam ruir na localidade. Há ainda vários desaparecidos. Foi pedido aos habitantes da região que enviassem vídeos e fotografias para a polícia, que possam fornecer pistas sobre os seus familiares desaparecidos. 

Entre os nove mortes já confirmados estão dois bombeiros, da região da Renânia do Norte-Vestefália, que morreram afogados numa cave inundada quando respondiam a uma ocorrência.

Nesta região, a mais populosa da Alemanha, 135.000 casas estão sem eletricidade. Devido à falta de energia elétrica, as autoridades começaram a retirar os quase 500 pacientes da clínica de Leverkusen. 

 A Alemanha Ocidental tem sido atingida por chuvas torrenciais que têm feito subir o caudal dos rios, arrancado árvores, alagado estradas e inundado casas. 

Os operacionais das equipas de resgate estão a retirar os residentes afetados da zona, muitos das quais se refugiaram nos telhados das suas casas para escapar à fúria das águas. Mas muitos pontos de acesso estão bloqueados, complicando as operações. 

 As autoridades pediram às pessoas para permanecerem nas suas habitações, se possível, e a "mudarem-se para andares mais altos, se necessário". 

As regiões do Sarre e Mecklenburg-Vorpommern foram colocadas sob alerta de tempestade. 

Na terça-feira, a Baviera, no sul do país, também tinha sido duramente atingida pelo mau tempo, tendo sido declarado o estado de calamidade natural em Hof devido às estradas inundadas. 

A líder dos Verdes no Bundestag, Katrin Göring-Eckardt, afirma que estes são "os efeitos da catástrofe climática" e que as tempestades são um "apelo ao realismo". "Já chegou aqui, já está aqui connosco", afirmou à RTL, apelando a uma "mudança urgente". 

O Luxemburgo e a Bélgica, vizinhos das regiões alemãs mais afetadas, estão a ser igualmente atingidos pelo mau tempo. 

 O Luxemburgo acionou a célula de crise, na sequência das fortes chuvas que se têm feito sentir e que deixaram muitas casas inundadas, em todo o país, e que "já não são habitáveis", tendo os seus habitantes sido evacuados, de acordo com as autoridades. 

Também a Bélgica tem vindo a sofrer, há vários dias, com fortes chuvas que fizeram com que o caudal de muitos rios galgasse as margens, provocando cheias e inundações na região francófona da Valónia.

As províncias de Liège e Namur foram particularmente atingidas, com a estância balnear de Spa a ficar completamente submersa. 

 Na cidade de Chaudfontaine, o diário Le Soir relatou que cerca de 1.800 pessoas tiveram de ser retiradas. "Poucas vezes temos tido inundações tão intensas. É preciso recuar a 1998 para ter uma experiência assim", disse o presidente da câmara de Chaudefontaine, Daniel Bacquelaine, à RTL. 

 A rede ferroviária Infrabel anunciou entretanto a suspensão do tráfego na metade sul do país, esta quinta-feira.


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas