Escolha as suas informações

Ilhas flutuantes no porto de Copenhaga para defender o clima
Mundo 31.07.2020

Ilhas flutuantes no porto de Copenhaga para defender o clima

Ilhas flutuantes no porto de Copenhaga para defender o clima

Foto: DR
Mundo 31.07.2020

Ilhas flutuantes no porto de Copenhaga para defender o clima

Bruno Amaral de Carvalho
Bruno Amaral de Carvalho
O plano arquitetónico é uma iniciativa sem fins lucrativos para uso da população e para fixar vegetação e animais.

Marshall Blecher e o atelier Studio Fokstrot apresentaram um projeto para a capital dinamarquesa com um conjunto de ilhas flutuantes no porto da cidade. Ao acrescentar um novo arquétipo ao espaço urbano, o projeto pode ser utilizado por marinheiros, pescadores, praticantes de rmo, observador dos astros e nadadores, entre outros.

Com o nome Ilhas de Copenhaga, o projeto é uma iniciativa sem fins lucrativos iniciada pelo arquiteto australiano Marshall Blecher e pelo estúdio de design dinamarquês Fokstrot. Em 2018, o primeiro protótipo de ilha introduzido no porto tornou-se muito popular. A CPH-Ø1 organizou exposições fotográficas, uma série de palestras e muitos piqueniques à beira-mar. Programado para 2020, serão lançadas mais três ilhas, com outras planeadas para um futuro próximo.

O "parkipelago" pretende criar um espaço verde flutuante natural e lúdico com "plantas endémicas, árvores e gramíneas acima da superfície e pontos de ancoragem abaixo que fornecem um habitat para aves e insetos, algas, peixes e moluscos. Acrescentando um novo objectivo ao porto, que se tornou rapidamente atrativo, o projecto, em constante mudança, será construído à mão utilizando técnicas tradicionais de construção de barcos em madeira nos estaleiros navais.

As ilhas são facilmente deslocáveis e serão transportadas por estações entre partes menos utilizadas e partes do porto recentemente desenvolvidas, "catalisando vida e atividade". Além disso, o generoso oásis verde recentemente introduzido "dá pistas para um novo tipo de urbanismo resistente ao clima, inerentemente flexível na sua utilização e utilizando apenas materiais reciclados e sustentáveis.

Vencedoras do Prémio Internacional de Design de Taipei para o Espaço Público e do Prémio de Design Social, as ilhas de Copenhaga foram também finalistas no Prémio de Design Beazley no Museu de Design de Londres e acabam de ser anunciadas como finalistas no Prémio de Design Dinamarquês.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.