Escolha as suas informações

Hungria. Mulheres com quatro filhos deixam de pagar impostos

Hungria. Mulheres com quatro filhos deixam de pagar impostos

Foto: AFP
Mundo 11.02.2019

Hungria. Mulheres com quatro filhos deixam de pagar impostos

Primeiro-ministro Viktor Orbán anunciou medidas para reforçar a natalidade, voltando a criticar a política da União Europeia sobre migrantes.

O primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orbán, anunciou medidas de incentivo à natalidade, incluindo a isenção fiscal para mulheres com quatro ou mais filhos. Ao mesmo tempo, Orbán voltou a criticar a União Europeia por causa da política sobre migrantes.

"Em toda a Europa há cada vez menos crianças e a resposta do Ocidente a este problema é a imigração. Nós, os húngaros, pensamos de maneira diferente. Em vez de olharmos só para os números, queremos crianças húngaras. Migração, para nós, é rendição", disse o político xenófobo e de extrema-direita no discurso anual à nação.

Além disso, as mulheres com menos de 40 anos que casarem pela primeira vez podem aceder a um crédito bonificado de 36 mil euros. Um terço da dívida em causa será alvo de perdão quando nascer um segundo filho e, caso nasça um terceiro filho, toda a dívida será perdoada.

Orbán anunciou as medidas de incentivo à natalidade a mais de três meses das eleições europeias e depois de uma série de manifestações contra o seu Governo. Os protestos iniciaram-se em dezembro como forma de contestação a mexidas na lei laboral, protegendo os patrões e prejudicando os trabalhadores no que diz respeito ao pagamento de horas extraordinárias.

Esta semana, a Hungria foi o primeiro Estado-membro da União Europeia a ser declarado "parcialmente livre". Dados do relatório anual acerca da Liberdade do Mundo, realizado pela Freedom House, destaca que, sob a liderança de Viktor Orbán, a perda de qualidade da democracia representa "o declínio mais dramático já registado" no espaço da União Europeia.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.