Escolha as suas informações

Holanda: Número de mortos em atentado em Utrecht sobe para três. Suspeito foi detido.
Mundo 7 2 min. 18.03.2019

Holanda: Número de mortos em atentado em Utrecht sobe para três. Suspeito foi detido.

Holanda: Número de mortos em atentado em Utrecht sobe para três. Suspeito foi detido.

Foto: AFP
Mundo 7 2 min. 18.03.2019

Holanda: Número de mortos em atentado em Utrecht sobe para três. Suspeito foi detido.

Segundo as autoridades há cinco feridos, vários em estado grave. O homem detido é de nacionalidade turca e tem 37 anos.

O número de mortos num atentado no elétrico, esta segunda-feira, na cidade holandesa de Utrecht, subiu para três. Há ainda cinco feridos, alguns em estado grave. As autoridades detiveram o único suspeito, segundo Jan van Zanen, presidente da câmara de Utrecht. Trata-se de Gökmen Tanis, um homem turco de 37 anos. A sua foto foi divulgada pela polícia na sua conta de Twitter.

De acordo com os media locais, Tanis tem cadastro, tendo sido levado por várias vezes a tribunal, na Holanda, por pequenos furtos e por uma acusação de violação. O pai de  Gökmen Tanis disse à agência de notícias turca DHA que se o filho cometeu o crime “deve ser punido”, referindo que já não tem contacto com ele há mais de 11 anos. 

Foto: AFP

O incidente deu-se por volta das 10:45 desta segunda-feira, numa paragem de tram no centro da cidade, junto do cruzamento 24 Oktoberplein. Segundo a polícia, o indivíduo terá disparado vários tiros dentro do tram. Em declarações aos repórteres locais, a polícia não descartou a hipótese de um atentado terrorista mas horas mais tarde admitiu poder tratar-se de uma "disputa doméstica". 

O primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, já expressou as condolências às famílias das vítimas e assegurou que as autoridades estão concentrados em investigar as causas do incidente. Segundo alguns media holandeses,  Gokmen Tanis, de 37 anos, teria sido apresentado a tribunal no dia 4 de março por acusações de violação. 

A RTV Utrecht relata mesmo que Tanis já seria conhecido pela polícia local, devido a incidentes passados como ameaças de morte a uma mulher e por ter disprado uma arma de fogo num bloco de apartamentos perto de Oktoberplein.

Segundo indicou o cordenador do departamento de Terrorismo do país, Pieter-Jaap Aalbersberg, o alerta terrorista na província de Utrecht foi elevado para o nível máximo. As escolas e colégios locais de Utrecht vão manter-se encerradas até indicação contrária e a segurança foi reforçada em outras cidades: Amesterdão, Roterdão, e Haia. Diferente da França, Bélgica ou Alemanha, este é o primeiro incidente no país em vários anos.

Já na semana passada um atentado contra imigrantes na Nova Zelândia fez 49 mortos. O ataque foi atribuído a um australiano de 28 anos que o transmitiu, inclusive, em direto através da rede social Facebook com recurso a uma câmara que fixara na cabeça. O incidente levou mesmo a primeira-ministra neozelandesa,  Jacinda Ardern, a criticar a atitude das redes sociais e a propagação de vídeos e mensagens xenófobas e anti-imigração nas mesmas.

Artigo atualizado às 19:13 no dia 18 de março de 2019