Escolha as suas informações

Guiné-Bissau vai hoje a eleições
Mundo 10.03.2019 Do nosso arquivo online

Guiné-Bissau vai hoje a eleições

Guiné-Bissau vai hoje a eleições

Foto: AFP
Mundo 10.03.2019 Do nosso arquivo online

Guiné-Bissau vai hoje a eleições

O país está mergulhado numa crise política há mais de três anos.

Mais de 761 mil eleitores da Guiné-Bissau são hoje chamados às urnas para escolher o novo parlamento, numas eleições que visam pôr fim à crise política que o país atravessa há mais de três anos.

Os eleitores vão poder votar em mais de três mil mesas de voto distribuídas pelos 29 círculos eleitorais da Guiné-Bissau.

As urnas abriram às 07h locais (08 horas no Luxemburgo) e encerram às 17h.

As eleições vão ser acompanhadas por observadores internacionais da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), União Africana e dos Estados Unidos da América.

Entre os 21 partidos políticos que se candidatam às eleições, destacam-se o Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), vencedor das legislativas de 2014, e o Partido da Renovação Social (PRS), segunda maior força política do país, mas que esteve no Governo da legislatura que agora termina.

Na corrida participa também o Movimento para a Alternância Democrática (Madem), criado há oito meses por um grupo de dissidentes do PAIGC.

A segurança do ato eleitoral vai ser garantida por um efetivo de 6.000 elementos das forças de segurança e de defesa.

As eleições legislativas de hoje visam acabar com a crise política que existe no país desde 2015, quando o Presidente guineense, José Mário Vaz (PAIGC), demitiu Domingos Simões Pereira do cargo de primeiro-ministro, depois de o PAIGC ter vencido as eleições em 2014 com maioria absoluta.

Durante a última legislatura, a Guiné-Bissau teve sete primeiros-ministros, um dos quais por duas vezes.


Notícias relacionadas

De acordo com as projeções divulgadas até ao momento, o PS alcançaria o primeiro lugar nas eleições legislativas. O PSD cai para segundo. Três novos partidos podem entrar na Assembleia da República.
O relatório do secretário-geral da ONU sobre a situação na Guiné-Bissau, que será apresentado esta terça-feira, em Nova Iorque, aos membros do Conselho de Segurança, diz que a Al-Qaida no Magrebe Islâmico se pode expandir para esse país.
Guinean youth demonstrating appealing for peace and no violence. 16 April 2012 at Bissau capital of Guinea-Bissau. On Thursday evening a group of Guinean military attacked the residence of Prime Minister and presidential candidate, Carlos Gomes Junior, arresting him and the President, Raimundo Pereira and held various strategic points in the capital of Guinea-Bissau. The action was justified by a self-Military Command, with no clear identification of who is in charge, still all the main generals of the Guinean Army have been seen arriving and leaving the meeting places, for that reason at this point the belief is that the coup d'etat is actually done by the Guinean Bissau Army and not by any particular faction or group. These events preceded the beginning of the campaign for the second round of the presidential election scheduled for April 29. ANDRE KOSTERS/LUSA
O Movimento para a Democracia (MpD), liderado por Ulisses Correia e Silva, venceu hoje com maioria absoluta às eleições legislativas em Cabo Verde, conquistando 53,7 por cento dos votos, segundo os resultados oficiais provisórios.
As assembleias de voto abriram em Espanha às 9h00 locais (mesma hora no Luxemburgo) para recolher os votos dos mais de 36,5 milhões de votantes que decidirão hoje nas eleições gerais a distribuição dos 350 lugares do Congresso dos Deputados e dos 208 do Senado.