Escolha as suas informações

Greve de taxistas espanhóis por tempo indeterminado
Mundo 31.07.2018 Do nosso arquivo online

Greve de taxistas espanhóis por tempo indeterminado

Greve de taxistas espanhóis por tempo indeterminado

Foto: AFP
Mundo 31.07.2018 Do nosso arquivo online

Greve de taxistas espanhóis por tempo indeterminado

Em causa a emissão de mais licenças para Uber e Cabify. Movimento começou em Barcelona e já alastrou a nível nacional.

A greve dos taxistas espanhóis por tempo indeterminado contra a emissão de licenças para carros da Uber e da Cabify está a deixar as principais cidades espanholas sob fortes constrangimentos. Locais como o aeroporto de Barajas ou a estação ferroviária de Atocha têm sido dos mais afetados pela paragem.

O protesto iniciou-se no final da semana passada em Barcelona, mas depressa se tornou nacional e gerou grandes problemas numa das principais artérias de Madrid, o Paseo de la Castellana, onde centenas de taxistas bloquearam parte da via com os seus veículos. Em Barcelona, cerca de cinco centenas de táxis pararam a Gran Via. Os taxistas prometem passar dia e noite nos locais onde estacionaram até que haja uma resposta do Executivo às suas reivindicações.

Os protestos visam a introdução de alterações na legislação sobre a concessão de licenças para carros descaracterizados com motoristas, conforme acontece nas empresas mencionadas.

De acordo com a agência Efe, a situação replicou-se noutras partes de Espanha como Málaga, Costa do Sol, Saragoça e ilhas Baleares. Enquanto se realizam conversações com o governo de Pedro Sánchez com vista ao desbloqueamento da situação, vários motoristas da Uber e da Cabify já se queixaram de agressões. 




Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Transportes: Taxistas nem querem ouvir falar da Uber
A maioria dos taxistas do Luxemburgo está contra uma eventual vinda da Uber para o Grão-Ducado. Se a plataforma informática que une motoristas independentes começar a operar no país, muitos taxistas temem a “concorrência desleal” e o aumento do desemprego no setor.
Taxistas pedem mão forte e mais fiscalização contra ilegais
A nova lei que rege o sector dos táxis no Luxemburgo entrou em vigor no dia 1 de Setembro. A mudança que mais polémica tem gerado entre os taxistas é a que determina que o cliente deixa de ser obrigado a apanhar o primeiro táxi da fila. Os profissionais do sector pedem ainda mais fiscalização no combate aos taxistas ilegais.
 “Os ´pescadores´ (taxistas ilegais) continuam aí e são cada vez mais. São concorrência desleal a quem paga impostos e acabam por roubar o Estado”, denuncia Aires Santos, da Taxis Morgado, em Esch-sur-Alzette