Escolha as suas informações

Greta Thunberg. "2020 marca início de uma "década de combate"
Mundo 13.12.2019 Do nosso arquivo online

Greta Thunberg. "2020 marca início de uma "década de combate"

Greta Thunberg. "2020 marca início de uma "década de combate"

AFP
Mundo 13.12.2019 Do nosso arquivo online

Greta Thunberg. "2020 marca início de uma "década de combate"

Ana Patrícia CARDOSO
Ana Patrícia CARDOSO
A jovem ativista pelo clima Greta Thunberg criticou esta na sexta-feira, 13, em Turim os líderes mundiais, por agirem "como se não houvesse amanhã", e apelou aos jovens para que considerem 2020 como o "ano da ação".

"Em menos de três semanas entraremos numa nova década, uma década que definirá o nosso futuro", disse a jovem sueca para uma multidão de estudantes, que se juntaram para apoiar o movimento mundial iniciado por Greta, as greves climáticas ("Fridays For Future", no original). O próximo ano, avisou, "marcará o início de uma década de combate".

Falando sobre os líderes mundiais reunidos na 25.ª Conferência das Partes (COP25) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, que decorre em Madrid, Greta Thunberg afirmou que continuam "a tentar fugir das suas responsabilidades".

"Não é justo que as gerações mais velhas transfiram a responsabilidade da resolução da crise para os jovens, que não estão na origem da situação. Os adultos comportam-se como se não houvesse amanhã" e os jovens "não podem mais considerar o futuro como uma certeza", afirmou.

Greta Thunberg, 16 anos, é desde quarta-feira a personalidade do ano mais jovem da revista Time, pela capacidade de mobilizar milhões de pessoas em todo o mundo na batalha pelo ambiente e pela redução de gases com efeito de estufa. Nunca até hoje a revista norte-americana tinha homenageado uma pessoa tão jovem.

Greta começou sozinha em agosto do ano passado a fazer greve todas as sextas-feiras em frente do parlamento sueco, a exigir medidas para combater o aquecimento global. Desde então inspirou multidões crescentes de jovens, e menos jovens, para todas as sextas-feiras participarem no "Fridays For Future" e reivindicarem dos líderes políticos a tomada de medidas radicais para limitar a crise climática mundial.

Lusa


Notícias relacionadas