Escolha as suas informações

Governo francês “disponível para retirar” medida mais contestada da reforma das pensões
Mundo 11.01.2020

Governo francês “disponível para retirar” medida mais contestada da reforma das pensões

Governo francês “disponível para retirar” medida mais contestada da reforma das pensões

AFP
Mundo 11.01.2020

Governo francês “disponível para retirar” medida mais contestada da reforma das pensões

Uma das intenções do executivo era o aumento da idade de reforma dos 62 para os 64 anos. As ruas pressionaram e fica tudo na mesma.

O Governo francês está "disponível para retirar" da reforma do sistema de pensões a medida que incentiva os franceses a trabalharem até aos 64 anos, rejeitada unanimemente pelos sindicatos, refere uma carta enviada hoje às organizações sindicais e patronais.

A carta assinada pelo primeiro-ministro francês, Edouard Philippe, foi enviada num dia em que estão a decorrer novas manifestações em França contra a reforma do sistema de pensões.

Edouard Philippe tinha prometido fazer hoje um anúncio para tentar desbloquear as paralisações que têm afetado vários setores de atividade, como por exemplo os transportes e em especial na região de Paris, ao longo das últimas seis semanas.

Na missiva, Edouard Philippe ressalvou, no entanto, que os parceiros sociais terão de acordar medidas que consigam garantir o equilíbrio do sistema em 2027.

O Governo do Presidente francês, Emmanuel Macron, e as principais organizações sindicais têm estado envolvidos em intensas negociações.

As negociações estão focadas nesta altura no financiamento do novo sistema de pensões e Macron pediu ao Governo que encontrasse uma solução de compromisso com os sindicatos.

Uma das intenções do executivo, e uma das medidas mais criticadas, era o aumento da idade de reforma dos 62 para os 64 anos.

A reforma proposta pelo Governo francês visa uniformizar os 42 sistemas de pensões diferentes que existem em França.

Lusa

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Terça-feira há nova Greve Geral em França
O braço de ferro entre o governo e os trabalhadores, a propósito da reforma das pensões, não tem data para terminar. Esta terça-feira o país vai voltar a parar. Os sindicatos falam numa "greve decisiva".