Escolha as suas informações

François Bausch acredita em cessar-fogo na Ucrânia a curto prazo
Mundo 2 min. 30.11.2022
Guerra na Ucrânia

François Bausch acredita em cessar-fogo na Ucrânia a curto prazo

François Bausch.
Guerra na Ucrânia

François Bausch acredita em cessar-fogo na Ucrânia a curto prazo

François Bausch.
Foto: Gerry Huberty
Mundo 2 min. 30.11.2022
Guerra na Ucrânia

François Bausch acredita em cessar-fogo na Ucrânia a curto prazo

Redação
Redação
"Penso que o preço que a Rússia e a população russa pagam neste momento é muito elevado", disse o ministro da Defesa em entrevista esta terça-feira a um jornal inglês.

O ministro da Defesa luxemburguês, François Bausch, acredita que haverá um cessar-fogo na Ucrânia a curto prazo, considerando que o peso que a guerra está a ter na Rússia fará com que o Kremlin queira voltar às negociações.

Numa entrevista exclusiva ao jornal britânico Express.co.uk, publicada esta terça-feira, o ministro da Defesa luxemburguês afirmou que a Rússia está a pagar um "preço muito elevado" pela invasão da Ucrânia, não só no que se refere ao número de soldados russos mortos no campo de batalha, mas também a nível interno, devido às sanções ocidentais. 

Por isso, o governante acredita que o governo de Vladimir Putin será forçado a retomar as conversações e a negociar um cessar-fogo, numa altura em que as forças ucranianas se concentram no rio Dniepre, pressionando as regiões anexadas por Moscovo.


Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen
UE quer Rússia a pagar em dinheiro e na justiça pelos "crimes horríveis"
Ursula von der Leyen anunciou a criação de um tribunal internacional especializado nos crimes de guerra russos.

"Penso que o preço que a Rússia e a população russa pagam neste momento é muito elevado", afirmou à publicação. 

Além das baixas de guerra russas no cenário do conflito, Bausch apontou para o facto de as sanções decididas pelo ocidente serem "provavelmente reforçadas nos próximos seis meses", o que agravará as condições de vida da população na Rússia. "O preço é tão alto a pagar que penso que mais tarde ou mais cedo, terão de voltar às negociações. Estou confiante nisso."

O momento oportuno para a Ucrânia negociar 

Na mesma entrevista, o ministro da Defesa e vice-primeiro-ministro considerou que este impacto que a Rússia está a sentir pode ser o contexto ideal para a Ucrânia ter uma "posição forte" nas negociações, sugerindo que o momento atual é oportuno para afirmar essa condição.


NATO diz que Putin tenta utilizar o inverno como "arma de guerra"
O secretário-geral da aliança, Jens Stoltenberg, disse ser essencial que "Putin não ganhe" esta guerra.

Contudo, as declarações de Bausch e a sua crença em negociações de paz para breve esbarram nas intenções manifestadas pelas duas partes do conflito no que se refere às cedências que estão dispostas a fazer para encontrar uma solução de paz.

Esta terça-feira, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse aos jornalistas que "é impossível realizar quaisquer conversações agora porque o lado ucraniano as rejeita fortemente", sublinhando que será necessária "vontade política e disponibilidade para discutir as exigências russas". 

Há duas semanas, o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, negou qualquer tentativa de negociações com a Rússia, defendendo que "uma paz genuína e duradoura só pode resultar do completo desmantelamento de todos os elementos da agressão russa".

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Representantes ucranianos e russos deverão retomar esta quarta-feira a sessão negocial que iniciaram na segunda-feira, por videoconferência, para tentar terminar a guerra desencadeada pela invasão russa da Ucrânia, em 24 de fevereiro.