Escolha as suas informações

França. Les Républicains são surpresa em eleições regionais
Mundo 2 min. 21.06.2021 Do nosso arquivo online
Eleições francesas

França. Les Républicains são surpresa em eleições regionais

Eleições francesas

França. Les Républicains são surpresa em eleições regionais

AFP
Mundo 2 min. 21.06.2021 Do nosso arquivo online
Eleições francesas

França. Les Républicains são surpresa em eleições regionais

Bom resultado na primeira volta das eleições regionais francesas pode catapultar partido nas presidenciais do próximo ano.

Afastada do poder há mais de uma década, o partido de direita Les Républicains foi a surpresa das eleições regionais levadas a cabo no domingo em França. Num dia marcado pela abstenção recorde, a inesperada vitória em várias regiões do partido fundado por Nicolas Sarkozy aparece com outro fôlego para as eleições presidenciais que se realizam em 2022 e que se esperava serem protagonizadas por Emmanuel Macron e por Le Pen. Nenhum destes líderes saiu bem parado no domingo e a esquerda moderada permanece como a mais votada nas cinco regiões em que já governavam.

A candidata de extrema-direita, Marine Le Pen, esperava um resultado que a catapultasse para a liderança das intenções de voto. Não conseguiu mais do que vencer em cerca de dez localidades e outras pequenas cidades.

Há seis anos, nas últimas eleições regionais, a Frente Nacional ficou em primeiro lugar na primeira volta em seis regiões e foi o partido mais votado em França com 27,7% dos votos. A esperança de Le Pen era igualar ou melhorar o resultado, mas o oposto aconteceu. O partido que agora se chama Rassemblement National (RN) lidera apenas uma região e em todo o país recolheu, segundo as sondagens à boca das urnas, cerca de 19% dos votos, um resultado que pode comprometer a sua estratégia e a sua liderança.

A direita, com os Republicanos ou candidatos independentes, ganhou em seis das sete regiões onde já governa, incluindo Hautes-de-France e Auvergne-Rhône-Alpes. Está mesmo perto de ser a mais votada na Provença-Alpes-Côte d'Azur, a única região onde o RN governa. Os Republicanos são a força mais votada em França e conseguiram cerca de 29% dos votos.

O resultado é bastante bom para um partido que muitos acreditaram estar moribundo. Na terceira posição, depois de LR e RN, está o Partido Socialista (PS), o partido mais votado onde governa. Nem La Republique En Marche (LREM) de Macron, nem os seus aliados centristas lideram em qualquer região, refletindo a implantação territorial limitada de uma formação fundada em 2017 e sem líderes de peso, excepto o Presidente. A segunda volta das eleições regionais e departamentais, que coincidem nos mesmos dias, terá lugar no domingo 27, e as coisas poderão mudar com possíveis alianças.

Nas eleições regionais, as listas que têm mais de 10% dos votos qualificam-se para a segunda volta, ao contrário das eleições presidenciais, onde os dois candidatos mais votados se qualificam. Este sistema significa que pode haver três ou quatro listas na segunda ronda. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O primeiro-ministro francês Manuel Valls exortou na segunda-feira à noite os militantes socialistas a votarem na direita unida – Les Républicains (de Sarkozy), MoDem (François Bayrou) e UDI (centristas) –, nas regiões onde o PS não venceu na primeira volta, para fazer barragem à Frente Nacional (FN, extrema-direita), na segunda volta das eleições regionais, no domingo, 13 de Dezembro.
O primeiro-ministro francês Manuel Valls (PS) apelou os socialistas a votarem nos partidos da direita – Les Républicains, MoDem e UDI – para impedir a Frente Nacional de vencer as eleições no domingo