Escolha as suas informações

França. Comunidade de Pontoise unida contra homicídio de português
Mundo 3 min. 10.04.2021

França. Comunidade de Pontoise unida contra homicídio de português

Carlos Soares, tinha 34 anos, e morreu baleado em Pontoise.

França. Comunidade de Pontoise unida contra homicídio de português

Carlos Soares, tinha 34 anos, e morreu baleado em Pontoise.
Mundo 3 min. 10.04.2021

França. Comunidade de Pontoise unida contra homicídio de português

Carlos Soares, de 34 anos, morreu vítima de uma bala perdida numa rixa em Marcouville, na qual não participava. Estava a fazer um churrasco com amigos. Portugueses ajudam a pagar despesas das cerimónias fúnebres.

“O Carlos estava no sítio errado à hora errada. Uma tragédia. Estava num churrasco com os amigos, ao início da noite de quinta-feira, no bairro de Mercouville, na cidade de Pontoise, quando uma das balas disparadas por três indivíduos numa rixa mais abaixo o atingiu e o matou”, conta ao Contacto Alexandre Soares, presidente da Associação portuguesa Estrelas de Portugal Cergy-Pontoise.

Tudo aconteceu ao início da noite no passado dia 8, tendo a missa fúnebre de Carlos Soares, de 34 anos, decorrido esta manhã de sábado, em Pontoise. O corpo vai ser trasladado para Guimarães, terra dos seus pais, onde se realizará o funeral, na terça-feira, dia 12 de abril.

“Logo no dia seguinte iniciamos uma petição para ajudar a família com as despesas da trasladação e do funeral, e já reunimos 12 mil euros”, contou Alexandre Soares que tal como o jovem português também viveu naquele bairro, "mas agora resido em Osny onde também vivia o Carlos".

Em Marcouville, Osny e pela região de Pontoise reside uma grande comunidade portuguesa que “ficou muito chocada e revoltada com o que aconteceu, com esta morte tão triste”, acrescentou este dirigente associativo. Os autores dos disparos que mataram Carlos Soares serão "aparentemente de origem portuguesa", segundo declarações da advogada da família do lusodescendente falecido à agência Lusa.

Depois do dia de trabalho, Carlos Soares foi até ao seu antigo bairro, em Marcouville, “onde cresceu e tinha amigos e onde vive ainda a sua mãe que está destroçada”, começa por recordar Alexandre Soares. Este imigrante conta que a mãe de Carlos Soares como está reformada passa “temporadas em Guimarães e outras em Marcouville, e agora tem estado cá”.

Alexandre Soares presidente da associação portuguesa Estrelas De Portugal Cergy-Pontoise.
Alexandre Soares presidente da associação portuguesa Estrelas De Portugal Cergy-Pontoise.
Foto DR

Morto por uma bala perdida

“Na terça-feira ao final da tarde o Carlos foi a Marcouville cortar o cabelo e depois reuniu-se com amigos no churrasco quando foi morto, sem ter nada a ver com o que se passou”, disse este imigrante português que conhece a família do jovem assassinado e o conhecia também.

Pouco antes três indivíduos tinham chegado ao bairro numa carrinha e  "atropelado um jovem que estava sentado em cima de uma scooter, que diziam ser deles e que tinha sido roubada. Mas esse jovem que morreu logo não a roubou. Disseram que ele a tinha comprado barata num local de vendas", recorda Alexandre Soares. 

“Chamaram logo a polícia e um grupo do bairro juntou-se contra os indivíduos que tinham pistolas e começaram a disparar. Uma das balas atingiu o Carlos”. Perante a multidão que se acercava, um dos indivíduos saiu da carrinha e começou a disparar.

Nessa tarde, duas pessoas foram assassinadas. Os autores dos disparos fugiram, “mas a polícia apanhou-os e estão presos”.

"Homem gentil e trabalhador"

Segundo Alexandre Soares "todos gostavam de Carlos Soares, uma boa pessoa, trabalhador, amigo e bem-disposto”.

O português já nascido em França Já não morava em Marcouville. Vivia em Osny com a mulher e a filha de cinco anos, mas ia muitas vezes ao seu antigo bairro de onde saiu baleado, em estado muito grave tendo falecido na ambulância a caminho do hospital.


Gare Centrale Luxembourg
Atropelamento junto à estação da Gare deixa pessoa gravemente ferida
O acidente aconteceu ao final da tarde de quinta-feira e as circunstâncias estão ainda por apurar.

"O OsnyFoot está de luto. É com profundo pesar que soubemos do falecimento de Carlos Soares, ocorrido na noite de quinta-feira em Pontoise. Carlos era amigo do nosso clube. Ele usa várias épocas nossas cores (entre 2002 e 2017). Ele era um apaixonado por futebol, um homem gentil e trabalhador. Ele também era marido e um jovem pai de 34 anos", lê-se na nota publicada nas redes sociais do Osny foot, um clube de futebol amador de Osny. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas