Escolha as suas informações

França avança com terceira e até quarta dose da vacina, em setembro
Mundo 2 min. 13.08.2021
Vacina anti-covid

França avança com terceira e até quarta dose da vacina, em setembro

Vacina anti-covid

França avança com terceira e até quarta dose da vacina, em setembro

Foto: Lusa
Mundo 2 min. 13.08.2021
Vacina anti-covid

França avança com terceira e até quarta dose da vacina, em setembro

Cinco milhões de pessoas mais idosas e “de muito alto risco” vão começar a receber o reforço vacinal, a partir do próximo mês, em França. Cerca de 100 mil podem precisar de uma quarta dose.

O governo francês vai iniciar a campanha de reforço vacinal contra o vírus da pandemia a partir do mês que vem. As contas já foram feitas e cerca de 5 milhões de idosos ou pessoas "de muito alto risco" devem receber uma 3º dose da vacina para reforçar a imunidade contra a covid-19. 

Nesta estatística estão incluídas as pessoas com mais de 80 anos, doentes com “risco muito elevado de formas graves de covid” como pessoas imunocomprometidas, nomeadamente transplantados e doentes com cancro.

Contudo, há quem seja aconselhado a levar mesmo uma 4ª dose da vacina anti-covid: as pessoas mais frágeis e "gravemente imunodeprimidas que já receberam uma terceira dose", e que o Ministério da Saúde defende que devem também levar um novo reforço. 

Serão cerca de 100 mil pessoas a necessitar do quarto reforço da vacina, de acordo com as estatísticas do Ministério da Saúde, divulgadas ontem na conferência semanal sobre a vacinação covid e citadas pelo jornal Le Figaro.

Para mais de 80 anos

A terceira dose destina-se sobretudo a residentes dos centros de idosos públicos (Ehpad) e unidades de cuidados continuados (USLD), mas também aos residentes com mais de 80 anos que vivam nas suas casas e a todos com uma saúde muito frágil e com sistema imunitário comprometido. Recorde-se que estas populações foram as primeiras a ser vacinadas, consideradas prioritárias na campanha de vacinação.

A quarta dose

Para aqueles que têm uma resposta de anticorpos considerada muito fraca, deve ser tida em consideração uma quarta dose", declarou em junho ao Le Figaro Yvanie Caillé, membro do Conselho Consultivo da Estratégia de Vacinas. 

O governo recorda que existe um “consenso científico” de que a proteção imunitária dada pela vacina vai enfraquecendo com o tempo, sobretudo entre as pessoas com saúde mais frágil.  “Nove meses após a toma da primeira dose”, a resposta imunitária fica mais fraca.


Israel anuncia terceira dose da vacina para maiores de 60 anos
Com este anúncio de Naftali Bennett, Israel torna-se no primeiro país a disponibilizar, em larga escala, uma terceira dose da vacina contra a covid-19.

A decisão de avançar com novas doses de vacina entre estas populações são também consensuais para a Alta Autoridade para a Saúde (HAS), o Conselho Científico e o Conselho de Orientação Estratégica da Vacina, lembra o Ministério da Saúde.

"Este primeiro círculo [de reforço da vacina] pode ser completado" por outros grupos, acrescentou o ministério. A lista das populações envolvidas ainda não foi formalmente estabelecida pela HAS, mas a partir de um de setembro estão abertas as consultas para o reforço vacinal dos residentes abrangidos nesta primeira campanha e a partir de dia 15 do próximo mês começam a ser administradas as doses extra de vacina contra o vírus da pandemia.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas