Escolha as suas informações

Fotos. Veneza afetada pelas maiores cheias dos últimos 50 anos
Mundo 43 13.11.2019

Fotos. Veneza afetada pelas maiores cheias dos últimos 50 anos

Fotos. Veneza afetada pelas maiores cheias dos últimos 50 anos

Foto: Marco Bertorello/AFP
Mundo 43 13.11.2019

Fotos. Veneza afetada pelas maiores cheias dos últimos 50 anos

Nível das águas atingiu 1,87 metros e dificultou a vida aos locais, comerciantes e turistas. Cidade vai declarar estado de emergência.

A cidade italiana de Veneza está a ser atingida pelas maiores cheias dos últimos 50 anos. As águas inundaram ruas e praças, estabelecimentos comerciais, hotéis e monumentos, como a Basílica de São Marcos. Um dos marcos da cidade, a Praça de São Marcos transformou-se num autêntico rio onde só se passava de galochas. 

Segundo o jornal italiano La Stampa, o fenómeno já provocou a morte de duas pessoas. Um idoso morreu eletrocutado na sua própria casa, devido a um curto-circuito causado pela água, e um outro foi encontrado sem vida também na sua residência.

As previsões para as próximas horas não são animadoras, já que é esperada nova subida das águas esta quarta-feira. Chamadas da "acqua alta" em italiano, as cheias dos últimos dias atingiram 1.87 metros em algumas zonas, algo nunca visto desde 1966, quando o nível mais elevado das águas foi de 1.94 metros, segundo escreve o jornal inglês The Guardian. Mais de 85% da cidade foi alagada. "Estamos a enfrentar uma maré alta anormal", escreveu o presidente da câmara de Veneza, Luigi Brugnaro, na rede social Twitter. 

Desde 1966, altura em que as cheias atingiram 1,94 metros, que os venezianos não viam nada assim. Segundo o The Guardian, os serviços de emergência foram chamados a vários locais, tendo mesmo de ser utilizados barcos como ambulâncias para socorrer as pessoas afetadas pelo fenómeno. Por outro lado, os táxis-barco têm a vida dificultada no transporte de turistas pela cidade.

Algumas mesas e cadeiras de cafés e restaurantes espalharam-se pelas águas, alguns hóteis ao longo do Grande Canal ficaram inundados, bem como a própria Basílica de São Marcos. O famoso hotel Gritti Palace, que chegou a alojar celebridades como Ernest Hemingway, Elizabeth Taylor and Richard Burton viu um dos seus bares inundados, danificando tapeçarias e mobília de grande valor.

O presidente da autarquia de Veneza Luigi Brugnaro chegou mesmo a escrever no Twitter que a cidade iria declarar estado de calamidade pública. Brugnaro atribuiu ainda o fenómeno extremo às alterações climáticas, "uma ferida que vai deixar uma marca permanente". 


Notícias relacionadas