Escolha as suas informações

Fornecimento de petróleo russo via Ucrânia foi interrompido
Mundo 09.08.2022
Energia

Fornecimento de petróleo russo via Ucrânia foi interrompido

Energia

Fornecimento de petróleo russo via Ucrânia foi interrompido

Foto: Unsplash
Mundo 09.08.2022
Energia

Fornecimento de petróleo russo via Ucrânia foi interrompido

Lusa
Lusa
Pelo menos três Estados europeus foram afetados.

As entregas de petróleo russo a três países europeus através da Ucrânia foram interrompidas após a recusa de uma transação bancária ligada às sanções contra Moscovo, anunciou a empresa russa responsável pelo transporte.

Em comunicado, a Transneft explica que o seu pagamento sobre o direito de trânsito pela Ucrânia para o mês de agosto, efetuado em 22 de julho, foi recusado no dia 28 por causa da entrada em vigor de determinadas sanções adotadas contra Moscovo.

Em consequência, a empresa ucraniana UkrTransNafta "deixou de fornecer serviços para o transporte de petróleo através do território ucraniano a partir de 04 de agosto", indicou a Transneft. Trata-se de entregas através de um ramal do oleoduto Druzhba que passa pela Ucrânia e serve três países europeus sem acesso ao mar, Hungria, Eslováquia e República Checa.


Acordo da UE para cortar gás russo entra em vigor na terça-feira
O mecanismo prevê uma redução de 15% no consumo, mas será adaptado às necessidades de cada país.

O fornecimento à Polónia e à Alemanha, através de um outro ramal do Druzhba que transita pela Bielorrússia, "prosseguem normalmente", declarou a Transneft.

Apesar da ofensiva militar russa em território ucraniano desde finais de fevereiro, o petróleo e o gás russos continuam a transitar pela Ucrânia para a União Europeia (UE), onde alguns países têm forte dependência dos hidrocarbonetos russos.

A UE adotou em junho um embargo progressivo ao petróleo russo, prevendo o fim das importações de crude por navio dentro de seis meses.


Wi , PK OGB-L Commerce , Unterstützung für die Geschäfte , rue Alzette Foto:Guy Jallay/Luxemburger Wort
Portas fechadas nas lojas para poupar energia não gera consenso
Em algumas cidades francesas, os comerciantes são obrigados a manter as portas dos estabelecimentos fechadas para poupar energia. E no Luxemburgo?

O fornecimento via oleoduto de Druzhba foi autorizado a continuar "temporariamente", sem data limite, uma concessão obtida pelo primeiro-ministro húngaro, Viktor Orban, que mantém boas relações com o Presidente russo, Vladimir Putin, estando a Hungria bastante dependente do petróleo russo.

Desde o início do conflito na Ucrânia, os países europeus tentam reduzir a sua dependência energética da Rússia, acusando Moscovo de usar as suas exportações neste setor como "arma de guerra".

A Rússia também reduziu significativamente o fornecimento de gás à Europa nas últimas semanas.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

A poucos dias, ainda não se sabe e os diplomatas vão ter nova reunião no domingo. O que se sabe é que num conselho dedicado à crise energética, segurança alimentar e militar provocadas pela guerra na Ucrânia, Zelensky fará uma intervenção por vídeo. O secretário-geral da União Africana, Macky Sall, é outro dos convidados por causa da fome que a falta de cereais pode provocar em África.