Escolha as suas informações

Forças russas lançaram ataque em três frentes e há vítimas civis, diz Ucrânia
Mundo 24.02.2022 Do nosso arquivo online
Guerra

Forças russas lançaram ataque em três frentes e há vítimas civis, diz Ucrânia

O conselheiro Mykhailo Podolyak referiu que o exército ucraniano está a responder e "já infligiu perdas significativas ao inimigo".
Guerra

Forças russas lançaram ataque em três frentes e há vítimas civis, diz Ucrânia

O conselheiro Mykhailo Podolyak referiu que o exército ucraniano está a responder e "já infligiu perdas significativas ao inimigo".
Foto: AFP
Mundo 24.02.2022 Do nosso arquivo online
Guerra

Forças russas lançaram ataque em três frentes e há vítimas civis, diz Ucrânia

Lusa
Lusa
Um conselheiro presidencial ucraniano disse esta quinta-feira que as forças russas lançaram um ataque à Ucrânia em três frentes, através do norte, do leste e do sul, e referiu haver vítimas civis, mas sem dar pormenores.

“Os militares ucranianos estão a lutar muito”, garantiu o conselheiro, Mykhailo Podolyak, referindo que o exército ucraniano está a responder e “já infligiu perdas significativas ao inimigo”.


Pessoas com sacos e malas numa estação de metro na capital ucraniana esta quinta-feira de manhã.
Relato de jovem ucraniana na capital: "Não vou sair de casa, tenho medo"
Uma jovem ucraniana em Kiev, onde também houve explosões, relata o que está a acontecer: "A guerra já começou. Estamos todos em pânico".

Segundo Podolyak, “a Ucrânia precisa agora de um apoio maior e muito específico do mundo, um apoio técnico-militar, financeiro e sanções duras contra a Rússia”.

Um outro conselheiro do Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, adiantou que a Rússia tem como alvo bases aéreas e várias outras infraestruturas militares, mas assegurou que o ataques “não diminuíram a capacidade de combate dos militares ucranianos”.

O conselheiro, Oleksii Arestovich, admitiu que o país “sofreu baixas”, mas que “não são significativas”, acrescentando que as tropas russas avançaram cerca de cinco quilómetros no território ucraniano, nas regiões de Kharkiv e Chernihiv e, possivelmente, em outras áreas.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, anunciou, hoje de madrugada, o início de uma operação militar no leste da Ucrânia, alegando que se destina a proteger civis de etnia russa nas repúblicas separatistas de Donetsk e Lugansk, que reconheceu como independentes na segunda-feira.


Rússia atacou Ucrânia
A Rússia afirma que os ataques têm apenas como alvo bases aéreas ucranianas e outras áreas militares, não zonas povoadas.

Depois do reconhecimento, Putin autorizou o exército russo a enviar uma força de “manutenção da paz” para Donetsk e Lugansk, referindo, na quarta-feira, que os líderes das autoproclamadas repúblicas separatistas pró-Rússia tinham pedido ajuda para “repelir a agressão” dos militares ucranianos.

O Ocidente acusa Moscovo de quebrar os Acordos de Minsk, assinados por Kiev e pelos separatistas pró-russos de Donetsk e Lugansk, sob a égide da Alemanha, França e Rússia.

Estes visavam encontrar uma solução para a guerra entre Kiev e os separatistas apoiados por Moscovo que começou em 2014, pouco depois de a Rússia ter anexado a península ucraniana da Crimeia.

A guerra no Donbass já provocou mais de 14 mil mortos e 1,5 milhões de deslocados desde 2014, segundo as Nações Unidas.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas