Escolha as suas informações

Facadas só dão dois pontos a Bolsonaro

Facadas só dão dois pontos a Bolsonaro

Foto:AFP
Mundo 2 min. 12.09.2018

Facadas só dão dois pontos a Bolsonaro

Nuno RAMOS DE ALMEIDA
A última sondagem no Brasil revela que o candidato da extrema-direita perde com todos na segunda volta e que 33% dos apoiantes de Lula prontificam-se a seguir as indicações de voto deste, na semana em que o PT formaliza Haddad como candidato.

Segundo a sondagem da Datafolha, Bolsonaro tem 24% das intenções de voto, subindo apenas dois pontos em relação ao anterior estudo realizado a 20 e 21 de agosto. O atentado de que o candidato de extrema-direita foi vítima, no passado dia 6 de setembro, não alterou substancialmente a vontade dos eleitores.

A sondagem, feita depois das facadas sofridas pelo ex-capitão do exército e candidato do PSL (Partido Social Liberal), confirma que Bolsonaro é o candidato com maior taxa de rejeição e será previsivelmente derrotado na segunda volta, qualquer que seja o candidato que se lhe oponha. A única diferença a seu favor é que parece claro que estará na segunda volta a 28 de outubro.

A disputar esta segunda volta aparecem Ciro Gomes, do PDT, com 13%; a ex-senadora Marina Silva, da Rede, com 11%; o ex-governador Geraldo Alckmin, do PSDB, com 10%, e o ex-presidente da câmara de São Paulo, Fernando Haddad, do PT, com 9%. Todos virtualmente empatados e dentro da margem de erro, de 2%, da sondagem.

O PT anunciou, na tarde desta terça-feira, Fernando Haddad como candidato à Presidência da República pelo partido. A decisão foi tomada após a reunião da direção executiva do PT, seguindo-se à leitura de uma carta de Lula durante vigília montada perto do local onde Lula está preso, nas instalações da Polícia Federal de Curitiba. Fernando Haddad tinha marcado para depois o seu primeiro discurso como candidato oficial do partido.

O panorama atual

Apesar de a ONU ter reafirmado que o Brasil tem de autorizar a candidatura de Lula da Silva, o partido não vai arriscar ficar sem candidato nesta pugna eleitoral e vai jogar tudo na passagem à segunda volta. Para isso tem a capacidade do antigo presidente conseguir endossar os 42% de votos revelados nas sondagens para o candidato que pretende apoiar.

A sondagem da Datafolha confirma que Lula mantém o poder de transferir boa parte de seu prestígio para outro candidato. Segundo o Datafolha, 33%, dos inquiridos dizem que votarão com certeza num candidato indicado pelo líder petista e 39% já identificam Haddad como seu provável substituto.

O estudo revela, por outro lado, que Bolsonaro é o candidato com maior taxa de rejeição, havendo 43% de eleitores a garantir que nunca votarão nele. A rejeição ao candidato de extrema-direita é maior entre as mulheres (59% dizem que nunca votariam nele), nos eleitores do Nordeste (51% recusam o candidato de extrema-direita) e entres os eleitores mais jovens, com 55% a negarem-se a votar no ex-militar.

Na segunda volta o candidato da extrema-direita perderá, segundo a sondagem, com todos os seus opositores, sendo a corrida mais taco a taco com o candidato do PT.

De acordo com a Datafolha, os eleitores de Bolsonaro são os mais convictos hoje. Entre os seus apoiantes, 74% dizem estar totalmente decididos e apenas 26% admitem mudar de ideias.

Por sua vez, os eleitores de Haddad estão mais decididos do que os dos outros candidatos que estão na disputa pelo segundo lugar da corrida. Os menos convictos são os eleitores de Marina, dos quais 71% admitem mudar.

A primeira volta das eleições brasileiras realiza-se no próximo dia 7 de outubro.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Quando o cu de Caetano Veloso entra na campanha
Apesar do seu apoio público à tortura e à ditadura militar, o candidato de extrema-direita conta com a cumplicidade dos partidos de centro que governam o Brasil, pois estes preferem um candidato que promete metralhar os opositores a terem novo governo do PT.
Brasil. Candidatos unidos contra Bolsonaro e Haddad em debate
No penúltimo debate televisivo com oito dos 13 candidatos às presidenciais, Bolsonaro e Haddad, que aparecem em empate técnico numa sondagem divulgada ontem, foram os principais alvos das críticas. Bolsonaro esteve ausente por motivos de saúde e Haddad defendeu-se como pôde.
Os candidatos Álvaro Dias (Podemos), Fernando Haddad (PT), Henrique Meirelles (MDB) e Geraldo Alckmin (PSDB) durante o debate.
Bolsonaro e Haddad rumam à segunda volta
Apesar de apoiado pelos grandes empresários e pelos grandes grupos de comunicação social o candidato apoiado pela maior parte do governo de Brasília não descola nas sondagens.
PT confirma Lula como candidato e Bolsonaro escolhe general como vice
No último dia para os partidos políticos brasileiros apresentarem as suas candidaturas, ficou a saber-se que o PT mantém Lula, apesar de preso; e depois de várias negativas, o candidato da extrema-direita, o segundo mais votado nas sondagens depois de Lula, apontou o general Hamilton Mourão como seu companheiro de candidatura.