Escolha as suas informações

Explosões em Beirute. UE lamenta vítimas e diz-se pronta para ajudar
Mundo 05.08.2020

Explosões em Beirute. UE lamenta vítimas e diz-se pronta para ajudar

Explosões em Beirute. UE lamenta vítimas e diz-se pronta para ajudar

Foto: AFP
Mundo 05.08.2020

Explosões em Beirute. UE lamenta vítimas e diz-se pronta para ajudar

Lusa
Lusa
A União Europeia (UE) lamentou esta quarta-feira as fortes explosões de terça-feira no porto de Beirute, que causaram pelo menos 100 mortos e 4.000 feridos, e declarou-se pronta a ajudar o país.

"A União Europeia expressa a sua total solidariedade e apoio às famílias das vítimas, à população e às autoridades libanesas na sequência das violentas explosões que afetaram Beirute", disse o Alto Representante da UE para a Política Externa, Josep Borrell, na sua conta da rede social Twitter.


Explosões no Líbano. "Responsáveis por esta catástrofe vão pagar"
Armazém de materiais explosivos confiscados terá estado na origem do incidente. Primeiro-ministro garante que os responsáveis não ficarão impunes.

O Comissário Europeu para a Gestão de Crises, Janez Lenarcic, adiantou que Bruxelas está já em contacto com Beirute para enviar a ajuda necessária após as explosões. "O nosso Centro de Coordenação de Resposta de Emergência está em contacto com as autoridades de proteção civil no Líbano", acrescentou o comissário. 

Por seu lado, o Presidente do Conselho Europeu, Charles Michel disse também no Twitter que os seus pensamentos estão com o povo do Líbano e as famílias das vítimas da trágica explosão. "A UE está preparada para fornecer assistência e apoio", reiterou Michel.


Vídeo. Imagens impressionantes da explosão no Líbano
A fortíssima explosão foi sentida em toda a cidade, matou cerca de 100 pessoas e feriu quase 4.000. Há apenas uma portuguesa entre os feridos.

Duas fortes explosões sucessivas sacudiram Beirute na terça-feira, causando mais de uma centena de mortos e mais de 4.000 feridos, segundo o último balanço feito pela Cruz Vermelha.

O Governo português indicou na terça-feira não ter indicações de que haja cidadãos nacionais entre as vítimas. As violentas explosões deverão ter tido origem em materiais explosivos confiscados e armazenados há vários anos no porto da capital libanesa.

O primeiro-ministro libanês, Hassan Diab, revelou que cerca de 2.750 toneladas de nitrato de amónio estavam armazenadas no depósito do porto de Beirute que explodiu. Diab disse que os responsáveis pelo acidente não vão ficar impunes.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas