Escolha as suas informações

EUA retiram-se da base no norte da Síria
Mundo 2 min. 20.10.2019

EUA retiram-se da base no norte da Síria

EUA retiram-se da base no norte da Síria

AFP
Mundo 2 min. 20.10.2019

EUA retiram-se da base no norte da Síria

As forças norte-americanas abandonaram este domingo a sua maior base no norte da Síria, no âmbito de uma retirada de cerca de mil soldados daquela região anunciada por Washington, segundo um correspondente da AFP no local e uma ONG.

Mais de 70 veículos blindados exibindo uma bandeira norte-americana, carregando equipamento militar e escoltados por helicópteros, atravessaram a estrada internacional pela cidade de Tal Tamr, disse o correspondente da AFP.

Segundo o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH), o comboio retirou-se da base de Sarrine, perto da cidade de Kobane, e seguiu para a província de Hassaké, mais a leste.

No dia 14 de outubro, cinco dias após o início da ofensiva turca contra as milícias curdas do YPG (Unidades de Proteção Popular curdas) no norte da Síria em guerra, os Estados Unidos anunciaram que os cerca de mil militares destacados naquela região haviam recebido ordem para deixar o país.

Foi uma primeira retirada, a 7 de outubro, de soldados americanos de perto da fronteira turca no norte da Síria, que abriu caminho a essa ofensiva turca.

Uma trégua frágil pontuada por combates esporádicos e bombardeamentos está em vigor desde o anúncio, na quinta-feira, de um acordo, arrancado pelos Estados Unidos à Turquia, no sentido de suspender a ofensiva turca na Síria por cinco dias.

"Esta é a maior base militar dos EUA no norte, e a quarta retirada de forças americanas de uma base na Síria", disse à AFP o diretor da OSDH, Rami Abdel Rahman.

Nos últimos dias, os americanos saíram de outras três bases, incluindo a da principal cidade de Minbej e outra localizada perto de Kobane, junto da fronteira com a Turquia.

A partir de agora, todas as bases "no norte da província de Raqa e no nordeste de Aleppo estão vazias de qualquer presença militar americana", disse Abdel Rahman. Os Estados Unidos ainda mantêm posições nas províncias de Deir Ezzor e Hassake, acrescentou.

O acordo de trégua prevê a suspensão por 120 horas (cinco dias) da ofensiva turca para permitir a retirada das forças curdas de YPG das áreas de fronteira e o estabelecimento de uma "zona de segurança" de 32 km de largura no território sírio ao longo da fronteira turca.

As forças curdas e a Turquia acusam-se mutuamente de violar as tréguas acordadas.


Notícias relacionadas