Escolha as suas informações

EUA espionaram UE, França, Itália e Grécia revelam The Guardian e Spiegel
Estes satélites na Cornualha, em Inglaterra, são utilizados pela Agência Nacional de Segurança norte-americana para escutar e partilhar informações de linhas telefónicas de telemóvel e dados internet de cidadãos da Europa e até documentação interna dos serviços da Comissão Europeia

EUA espionaram UE, França, Itália e Grécia revelam The Guardian e Spiegel

Foto: Reuters
Estes satélites na Cornualha, em Inglaterra, são utilizados pela Agência Nacional de Segurança norte-americana para escutar e partilhar informações de linhas telefónicas de telemóvel e dados internet de cidadãos da Europa e até documentação interna dos serviços da Comissão Europeia
Mundo 2 min. 01.07.2013

EUA espionaram UE, França, Itália e Grécia revelam The Guardian e Spiegel

França, Itália e Grécia figuram entre os 38 alvos vigiados pela Agência Nacional de Segurança norte-americana, noticia o jornal britânico The Guardian, citando documentos do ex-consultor Edward Snowden, acusado de espionagem pelos EUA.

Tentativas de escutas telefónicas visaram as embaixadas de França, Itália e Grécia em Washington e as representações destes países na ONU, em Nova Iorque, segundo um dos documentos da agência citados pelo diário britânico.

Um outro documento, datado de 2010, aponta igualmente Japão, México, Coreia do Sul, Índia e Turquia como alvos das operações de vigilância eletrónica da agência norte-americana.

A notícia do The Guardian surge depois de a revista alemã Der Spiegel ter avançado que a Agência Nacional de Segurança norte-americana espiou as representações diplomáticas da UE nos Estados Unidos.

A revista citava também documentos de Edward Snowden, ex-colaborador da Agência Nacional de Segurança acusado pelos EUA de espionagem por filtrar escutas do Governo.

Segundo o The Guardian, a operação que tinha como alvo a UE visava saber mais sobre as divergências entre os países-membros.

União Europeia, França e Alemanha já exigiram explicações aos EUA sobre a alegada espionagem. Os Estados Unidos comprometerem-se a averiguar o caso e a dar explicações à UE, declarou hoje em comunicado a chefe da diplomacia europeia, Catherine Ashton.

Documentos de Snowden mostram que CIA espiou representações da UE nos EUA

A CIA espiou a UE, revela a revista alemã Der Spiegel, que cita documentos do ex-colaborador da Agência Central de Inteligência norte-americana Edward Snowden, acusado pelos EUA de espionagem.

De acordo com a revista, um documento da CIA de Setembro de 2010, classificado como "extremamente confidencial", descreve como a secreta norte-americana espiava a representação diplomática da UE em Washington: o método usado implicava não só o uso de microfones instalados no edifício, mas também o recurso à infiltração na rede informática, que lhe permitia ler correios electrónicos e documentação interna.

A representação da UE nas ONU também foi espiada da mesma maneira, segundo os documentos da CIA, nos quais os europeus são designados explicitamente como "alvos a atacar".

A revista adianta que, há mais de cinco anos, peritos em segurança da UE descobriram um sistema de escutas na rede telefónica e de internet da sede do Conselho da UE, em Bruxelas.

À revista Der Spiegel, o presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, disse que, a confirmarem-se os factos relatados, é "um escândalo gigantesco", que "lesaria consideravelmente as relações entre a União Europeia e os Estados Unidos".

Na quarta-feira passada, a UE pediu aos EUA, "tão rápido quanto possível", respostas às suas questões sobre o programa de vigilância secreto norte-americano Prism, divulgado por Edward Snowden.


Notícias relacionadas