Escolha as suas informações

EUA e Reino Unido enviam militares ao Afeganistão para facilitar retirada de cidadãos do país
Mundo 2 min. 12.08.2021 Do nosso arquivo online
Afeganistão

EUA e Reino Unido enviam militares ao Afeganistão para facilitar retirada de cidadãos do país

Afeganistão

EUA e Reino Unido enviam militares ao Afeganistão para facilitar retirada de cidadãos do país

Foto: AFP
Mundo 2 min. 12.08.2021 Do nosso arquivo online
Afeganistão

EUA e Reino Unido enviam militares ao Afeganistão para facilitar retirada de cidadãos do país

Lusa
Lusa
A decisão de Londres foi anunciada pouco depois de os Estados Unidos terem divulgado uma operação militar similar.

Os Estados Unidos vão reenviar tropas para o Afeganistão para garantir a retirada de parte do pessoal da embaixada em Cabul, que será reduzida face ao avanço dos talibãs, anunciou esta quinta-feira o Departamento de Estado norte-americano.

Segundo o porta-voz da diplomacia norte-americana, Ned Price, ao mesmo tempo, Washington vai acelerar, com voos diários, a evacuação de intérpretes e outros contratados que apoiaram o exército dos Estados Unidos, que podem ser ameaçados de represálias se os talibãs tomarem o poder.

As tropas norte-americanas vão garantir apoio terrestre e aéreo na segurança das operações, nomeadamente dos norte-americanos enviados ao aeroporto de Cabul, disse o oficial, que pediu anonimato ao abordar um plano ainda não divulgado. 

A medida, refere a agência Associated Press (AP), sugere uma falta de confiança do Presidente norte-americano, Joe Biden, na capacidade de o governo afegão garantir segurança diplomática suficiente na capital, enquanto os talibãs continuam com uma vasta ofensiva, tendo já conquistado o controlo de 11 capitais provinciais afegãs.


Afeganistão. Centenas de soldados renderam-se aos talibãs no aeroporto de Kunduz
A ofensiva talibã começou em maio, com o início da retirada das forças dos Estados Unidos e da Aliança Atlântica, incluindo militares portugueses, e intensificou-se nos últimos dias, em todo o país.

O Pentágono manteve cerca de 650 soldados no Afeganistão para apoiar a segurança diplomática dos Estados Unidos, incluindo no aeroporto. 

Os talibãs lançaram uma vasta ofensiva contra as forças do Governo de Cabul no início de maio, após o anúncio da retirada final das forças internacionais do Afeganistão, que deve estar concluída no final deste mês.

Localizado na Ásia, o Afeganistão faz fronteira com seis países (Paquistão, Tajiquistão, Irão, Turquemenistão, Uzbequistão e China), sendo a paquistanesa a mais extensa, com 2.670 quilómetros.

600 soldados de Londres 

Londres vai enviar, temporariamente, cerca de 600 soldados para o Afeganistão para ajudar os britânicos a deixar o país face ao avanço militar dos talibãs, anunciou hoje o ministro da Defesa do Reino Unido.

 “Autorizei o envio de militares adicionais para apoiar a presença diplomática em Cabul, para ajudar os britânicos a deixar o país e para apoiar a realocação de ex-funcionários afegãos que arriscaram as suas vidas ao nosso lado”, afirmou Ben Wallace, num comunicado.

Washington indicou que vão ser enviados 3.000 militares para o Afeganistão para garantir a retirada de parte do pessoal da embaixada em Cabul, que será reduzida face ao avanço dos talibãs e mais 3.500 para o Qatar, onde foiçarão de prevenção caso a situação na capital afegã se deteriore.

Segundo o porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, Ned Price, ao mesmo tempo, Washington vai acelerar, com voos diários, a evacuação de intérpretes e outros contratados que apoiaram o exército dos Estados Unidos, que podem ser ameaçados de represálias se os talibãs tomarem o poder.

As tropas norte-americanas vão garantir apoio terrestre e aéreo na segurança das operações, nomeadamente dos norte-americanos enviados ao aeroporto de Cabul, disse o oficial, que pediu anonimato ao abordar um plano ainda não divulgado. 


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O grupo do Estado Islâmico, rival dos Taliban, representa a maior ameaça à retirada após ter levado a cabo um ataque suicida à bomba no aeroporto na semana passada, que ceifou mais de 100 vidas, incluindo 13 tropas norte-americanas.
A situação no Aeroporto Internacional Hamid Karzai, cujas pistas foram invadidas por milhares de pessoas tentando desesperadamente fugir do Afeganistão, obrigou a que todos os voos fossem suspensos por várias horas esta segunda-feira.