Escolha as suas informações

EUA. Candidato dos Democratas quer cidadania imediata para 800 mil "sonhadores"
Mundo 2 min. 24.06.2019 Do nosso arquivo online

EUA. Candidato dos Democratas quer cidadania imediata para 800 mil "sonhadores"

EUA. Candidato dos Democratas quer cidadania imediata para 800 mil "sonhadores"

Foto: AFP
Mundo 2 min. 24.06.2019 Do nosso arquivo online

EUA. Candidato dos Democratas quer cidadania imediata para 800 mil "sonhadores"

Destes 800 mil residentes nos Estados Unidos - que chegaram ilegalmente ao país enquanto crianças - 500 são cidadãos de origem portuguesa.

O candidato dos Democratas às eleições presidenciais dos Estados Unidos Joe Biden defendeu esta segunda-feira que o Congresso dê cidadania imediata aos 800 mil residentes no país que chegaram ilegalmente ao país enquanto crianças.

Joe Biden defendeu, numa entrevista publicada em simultâneo no The Miami Herald, em inglês, e no El Nuevo Herald em espanhol, alguns pontos da sua política de imigração, pedindo ao Congresso que garanta a cidadania imediata destes 800 mil residentes – entre os quais se incluem 500 cidadãos de origem portuguesa.


EUA e México chegam a acordo sobre imigrantes
Se as duas partes não tivessem chegado a um acordo, as tarifas entrariam em vigor na segunda-feira, afetando todas as importações mexicanas, com taxas que começariam em 5%, subindo a cada mês até atingir 25% em outubro.

Estes 800 mil jovens indocumentados foram ameaçados de deportação quando o Presidente norte-americano, Donald Trump, revogou, em setembro passado, uma ordem do seu antecessor que protegia estes imigrantes, conhecida como DACA (‘Deferred Action for Childhood Arrivals’).

Os imigrantes levados para os EUA enquanto crianças são habitualmente referidos como "sonhadores" por causa de uma proposta nunca aprovada no Congresso chamada ‘Dream Act’, que teria permitido a sua permanência no país se cumpridos alguns critérios. Os oponentes dizem que o ato recompensaria ilegalidades e incentivaria a imigração ilegal.

O antigo vice-Presidente e líder dos Democratas revelou algumas de suas prioridades para a imigração em entrevista a um jornal crítico do Presidente, que acusa Donald Trump de fazer um “assalto à dignidade” da comunidade latina.


Imigração ilegal não aumenta a criminalidade nos EUA
O Presidente dos EUA, Donald Trump, têm lutado pela intensificação do controlo de fronteiras, alegando que a imigração ilegal é uma das principais causas para o aumento da criminalidade no país. Um estudo agora revelado contraria este pressuposto.

Biden, que lançou a sua campanha para 2020 em abril, defende uma simplificação do sistema de asilo de migrantes e um maior investimento na segurança eletrónica das fronteiras norte-americanas, em vez da construção de um muro entre os Estados Unidos e o México, proposta por Trump.

Joe Biden prometeu ainda uma revisão da política externa dos Estados Unidos, secundando outros democratas, que criticaram a abordagem de Trump relativa ao México, América Central e América do Sul.


O sonho americano tem arame farpado
Há seis dias que milhares de hondurenhos deixaram o país rumo aos Estados Unidos, em busca de uma vida melhor. Esta quinta-feira, o Presidente norte-americano Donald Trump ameaçou fechar a fronteira sul com o México, caso a multidão de migrantes não seja travada.

"A política para a América Latina é, no melhor dos casos, uma cópia da Guerra Fria, e, no pior, uma confusão ineficaz”, afirmou Biden. 

Apesar de falar nos chamados "sonhadores", a estratégia de Biden não aborda diretamente os mais de 11 milhões de imigrantes que estão no país ilegalmente. No entanto, quando foi vice do Presidente Barack Obama, Biden apoiou uma revisão abrangente da lei da imigração que visava dar cidadania à maioria desses residentes.

Lusa


Notícias relacionadas

“Eles chegaram de forma ilegal”, disse o chefe de Estado norte-americano em declarações aos jornalistas nos jardins da Casa Branca, afirmando que a polícia dos serviços de imigração “vai enviar (os imigrantes clandestinos) de volta” para os respetivos países.
Candidato à Casa Branca
O republicano Donald Trump anunciou que vai deslocar-se esta quarta-feira ao México para se encontrar com o Presidente Enrique Peña Nieto, horas antes do muito antecipado discurso do candidato à Casa Branca sobre imigração, no Arizona.
After initially promising to build a new barrier running the entire length of the border, Trump now says only half actually needs to be covered