Escolha as suas informações

Espanha: PP ganha eleições com 123 deputados, a 53 da maioria absoluta
Nenhum dos principais partidos conseguiu maioria absoluta, e as negociações para formar governo podem passar por uma "solução à portuguesa"

Espanha: PP ganha eleições com 123 deputados, a 53 da maioria absoluta

Foto: AFP
Nenhum dos principais partidos conseguiu maioria absoluta, e as negociações para formar governo podem passar por uma "solução à portuguesa"
Mundo 21.12.2015

Espanha: PP ganha eleições com 123 deputados, a 53 da maioria absoluta

O Partido Popular (PP) ganhou as eleições espanholas de hoje com 123 deputados e 28,7% dos votos, muito longe (a 53 deputados) da maioria absoluta, seguido do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), com 90 deputados e 22%, depois de escrutinados 99,5% dos boletins.

O Partido Popular (PP) ganhou as eleições espanholas de hoje com 123 deputados e 28,7% dos votos, muito longe (a 53 deputados) da maioria absoluta, seguido do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), com 90 deputados e 22%, depois de escrutinados 99,5% dos boletins.

O Podemos é um dos vencedores destas eleições, conquistando 69 lugares, com cerca de 20,6%, seguindo-se o Ciudadanos, com 40 deputados e 13,9%.

Seguem-se a Esquerda Republicana da Catalunha (ERC), com nove eleitos e 2,3% dos votos nacionais, a Democràcia y Llibertat (oito deputados e 2,2%), o Partido Nacionalista Basco (seis deputados e 1,2%).

Sem conseguirem formar um grupo parlamentar no Congresso ficaram a Esquerda Unida (dois deputados e 3,6%), o partido basco EH (2 lugares e 0,8%) e a Coligação Canária (um deputado e 0,3%).

No caso do Podemos, o total de lugares resulta da combinação dos votos no partido liderado por Pablo Iglesias mas também com as listas autónomas apresentadas na Catalunha (En Comú Podem), em Valência (Compromís en la Comunidad Valenciana) e na Galiza (En Marea).


Notícias relacionadas

Legislativas: Espanha vai a votos este domingo
As assembleias de voto abriram em Espanha às 9h00 locais (mesma hora no Luxemburgo) para recolher os votos dos mais de 36,5 milhões de votantes que decidirão hoje nas eleições gerais a distribuição dos 350 lugares do Congresso dos Deputados e dos 208 do Senado.