Escolha as suas informações

Embaixada norte-americana pede aos seus cidadãos que abandonem o Iraque
Mundo 03.01.2020 Do nosso arquivo online

Embaixada norte-americana pede aos seus cidadãos que abandonem o Iraque

Embaixada norte-americana pede aos seus cidadãos que abandonem o Iraque

Foto: AFP
Mundo 03.01.2020 Do nosso arquivo online

Embaixada norte-americana pede aos seus cidadãos que abandonem o Iraque

O assassínio do general iraniano Qassem Soleimani representa "uma escalada perigosa da violência", disse hoje Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Deputados norte-americana.

A embaixada norte-americana em Bagdad, atacada na terça-feira por pró-iranianos, apelou hoje aos seus cidadãos que deixem o Iraque "imediatamente", poucas horas após o assassínio do general iraniano Qassem Soleimani numa operação dos Estados Unidos.

A representação diplomática dos EUA pediu aos norte-americanos no Iraque “que partam de avião o mais rápido possível" ou saiam “para outros países por via terrestre".


Pentágono afirma que Trump ordenou a morte de general iraniano
Após a morte de Qassem Soleimani, Trump publicou no Twitter uma imagem da bandeira norte-americana, sem qualquer comentário.

As principais passagens de fronteira do Iraque levam ao Irão e à Síria, mas há outros pontos de passagem para a Arábia Saudita e a Turquia.

O assassínio do general iraniano Qassem Soleimani, enviado da República Islâmica ao Iraque, representa "uma escalada perigosa da violência", disse hoje a presidente da Câmara dos Deputados norte-americana, a democrata Nancy Pelosi.

"Os Estados Unidos - e o mundo - não podem permitir uma escalada de tensões que chegue a um ponto sem retorno", afirmou ainda Pelosi num comunicado.


General iraniano morto em ataque aéreo ao aeroporto de Bagdad
Segundo fontes oficiais da segurança iraquiana, pelo menos oito pessoas foram mortas no ataque, três dias depois de um assalto inédito à embaixada norte-americana.

A Guarda Revolucionária confirmou a morte do general Qassem Soleimani, na sequência de um ataque aéreo, na manhã de hoje, contra o aeroporto de Bagdad, que também visou o 'número dois' da coligação de grupos paramilitares pró-iranianos no Iraque, Abu Mehdi al-Muhandis, conhecida como Mobilização Popular [Hachd al-Chaabi].

O Presidente dos Estados Unidos ordenou a morte do comandante da força de elite iraniana Al-Quds, general Qassem Soleimani, anunciou o Pentágono num comunicado.

Na nota, o Pentágono disse que Soleimani estava "ativamente a desenvolver planos para atacar diplomatas e membros de serviço norte-americanos no Iraque e em toda a região".


Embaixada dos EUA em Bagdade evacuada
Milhares de pessoas manifestam-se em frente à Embaixada dos EUA para condenar o bombardeio levado a cabo por Washington que provocou 25 mortos no domingo

O líder supremo do Irão, Ali Khamenei, prometeu hoje vingar a morte do general iraniano Qassem Soleimani e declarou três dias de luto nacional.

Lusa


Notícias relacionadas

A sua morte “duplicou a determinação da nação iraniana e de outras nações livres da região de enfrentar a intimidação da América e de defender os valores islâmicos”, referiu o Presidente iraniano Hassan Rohani.
Protesters shout slogans against the United States and Israel as they hold posters with the image of top Iranian commander Qasem Soleimani, who was killed in a US airstrike in Iraq, and Iranian President Hassan Rouhani during a demonstration in the Kashmiri town of Magam on January 3, 2020. - Hundreds of people in Indian Kashmir staged "anti-American" demonstrations in the troubled territory on January 3 within hours of US forces killing a top Iranian commander. (Photo by Tauseef MUSTAFA / AFP)