Escolha as suas informações

"Duro golpe". Pentágono diz que Moskva foi afundado por dois mísseis ucranianos
Mundo 15.04.2022 Do nosso arquivo online
Invasão russa

"Duro golpe". Pentágono diz que Moskva foi afundado por dois mísseis ucranianos

Invasão russa

"Duro golpe". Pentágono diz que Moskva foi afundado por dois mísseis ucranianos

Foto: AFP
Mundo 15.04.2022 Do nosso arquivo online
Invasão russa

"Duro golpe". Pentágono diz que Moskva foi afundado por dois mísseis ucranianos

Lusa
Lusa
“Estimamos que [o navio] foi atingido por dois [mísseis] Neptunes”, disse aos jornalistas o funcionário do Pentágono, que pediu anonimato. Com essa declaração, a fonte desmente a versão de Moscovo, que garante que a embarcação sofreu “danos graves” por causa de um incêndio e depois naufragou.

O cruzador russo Moskva foi atingido por dois mísseis ucranianos antes de afundar no Mar Negro, declarou esta sexta-feira um funcionário do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, que classificou o ocorrido como um “duro golpe” para a Rússia.  

“Estimamos que [o navio] foi atingido por dois [mísseis] Neptunes”, disse aos jornalistas o funcionário do Pentágono, que pediu anonimato. Com essa declaração, a fonte desmente a versão de Moscovo, que garante que a embarcação sofreu “danos graves” por causa de um incêndio e depois naufragou.


Rússia confirma que navio Moskva afundou no Mar Negro
Forças ucranianas reivindicam o ataque responsável pelo afundamento do navio.

Contudo, o funcionário americano não confirmou a versão de que o exército ucraniano teria distraído a defesa do Moskva com um drone numa das laterais do barco, enquanto os mísseis de cruzeiro antinavio Neptune o atingiam pelo outro lado.

“Acreditamos que houve vítimas, mas é difícil saber quantas”, disse, ao acrescentar que os Estados Unidos têm conhecimento de que os sobreviventes foram resgatados por outros barcos russos na região.

  “Simbolicamente, é um duro golpe”  

A Rússia, que não reconhece oficialmente que o Moskva afundou por consequência de um ataque ucraniano, anunciou que a tripulação tinha sido retirada.

“Simbolicamente, é um duro golpe”, acrescentou a fonte. Sobretudo a perda do Moskva, um dos três cruzadores da classe Slava que pertencem à Rússia, “cria um vazio nas capacidades militares” no sul da Ucrânia, onde o presidente Vladimir Putin decidiu concentrar, a partir de agora, as suas operações e próxima ofensiva.

Em virtude da Convenção de Montreux, “a Turquia não autoriza as embarcações de guerra a entrar no Mar Negro, e [os russos] não poderão substituí-lo por outro navio da classe Slava”, explicou.


Rússia confirma que navio Moskva afundou no Mar Negro
Forças ucranianas reivindicam o ataque responsável pelo afundamento do navio.

Ancara controla o acesso ao Mar Negro por meio do Tratado de Montreux, firmado em 1936, que garante a livre circulação nos estreitos de Bósforo e Dardanelos, mas permite o bloqueio de navios militares nessa região em caso de guerra, a não ser que as embarcações tenham que regressar às suas bases.

O afundamento do Moskva poderia levar a marinha russa a ser mais prudente na guerra na Ucrânia, opinou o funcionário do Pentágono.

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Segundo o Ministério da Defesa russo, o navio de guerra sofreu “um intenso incêndio e subsequente detonação de munição” e, embora “tenha sofrido sérios danos”, a tripulação foi retirada. Imprensa livre e testemunhos dizem que a versão do Kremlin é "uma mentira vulgar e cínica".
O maior navio de guerra russo, o Moskva afundou-se no Mar Negro, após um ataque de mísseis ucranianos.