Escolha as suas informações

Donald e Melania Trump terão sido vacinados em segredo na despedida da Casa Branca
Mundo 02.03.2021

Donald e Melania Trump terão sido vacinados em segredo na despedida da Casa Branca

Donald e Melania Trump terão sido vacinados em segredo na despedida da Casa Branca

AFP
Mundo 02.03.2021

Donald e Melania Trump terão sido vacinados em segredo na despedida da Casa Branca

A revelação foi feita pelo The New York Times. Trump terá escolhido ser vacinado longe dos holofotes para não ferir as susceptibilidades dos apoiantes que manifestavam resistência aos fármacos.

Confrontado pelo The New York Times, um antigo conselheiro do multimilionário que ocupou a Sala Oval nos últimos quatro anos confirmou que não só Donald como Melania Trump foram vacinados contra a covid-19 em janeiro, pouco antes de terem abandonado a Casa Branca para dar lugar ao recém eleito Joe Biden. 

Estávamos em dezembro quando os assessores do então Presidente garantiram que Trump só receberia a vacina quando o fármaco fosse recomendado pela equipa média da Casa Branca. Em declarações ao diário norte-americano, o antigo conselheiro explica até que Trump escolheu ser vacinado longe dos holofotes para não ferir as susceptibilidades dos apoiantes que manifestavam resistência aos fármacos. 

De facto, ao contrário do Presidente Biden, da vice-Presidente Kamala Harris e do próprio antigo Vice-Presidente Mike Pence, que receberam doses de vacina em direto nas televisões, Trump nunca encorajou os norte-americanos a entrar nas filas do plano de vacinação. 

Agora, numa mudança de discurso, o homem que chegou a admitir ter subestimado deliberadamente a gravidade da doença para evitar uma onda de pânico aproveitou a sua primeira aparição pública para dizer que "todos devem procurar a vacina". 

Para já desconhece-se se o antigo casal presidencial foi vacinado com o fármaco da Pfizer ou da Moderna, na altura disponíveis. No final de setembro, Trump testou positivo para a infeção pelo novo coronavírus, arrastando a mulher para o diagnóstico. Ao contrário de Melania, o multimilionário teve de ser hospitalizado durante três dias num hospital militar em Washington. 

Na altura foi-lhe administrado o cocktail experimental de anticorpos da empresa farmacêutica Regeneron e o remdesivir antiviral. De qualquer forma, sem evidências científicas que afastem a reinfeções dos pacientes que já foram diagnosticados com covid-19, o empresário que prometeu uma recandidatura à presidência optou por prevenir. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Donald Trump regista “progressos” e está sem febre
Sean Conley, médico do Presidente norte-americano frisou que “o presidente está muito bem, motivado e bem-disposto” e que não está sob auxílio de oxigénio para respirar, apesar de ter sido internado com alguns sintomas