Escolha as suas informações

Dirigente associativa denuncia: Portugueses enganados na Alemanha acabam a mendigar ou na prostituição
Mundo 2 min. 14.08.2015

Dirigente associativa denuncia: Portugueses enganados na Alemanha acabam a mendigar ou na prostituição

Dirigente associativa denuncia: Portugueses enganados na Alemanha acabam a mendigar ou na prostituição

Foto: Arquivos
Mundo 2 min. 14.08.2015

Dirigente associativa denuncia: Portugueses enganados na Alemanha acabam a mendigar ou na prostituição

Enganados com promessas de trabalho no sector da construção ou das limpezas, há emigrantes portugueses na Alemanha que acabam sem dinheiro para regressar a Portugal e são forçados a prostituir-se ou a mendigar. A denúncia foi feita hoje por uma dirigente associativa à Antena 1.

Enganados com promessas de trabalho no sector da construção ou das limpezas, há emigrantes portugueses na Alemanha que acabam sem dinheiro para regressar a Portugal e são forçados a prostituir-se ou a mendigar. A denúncia foi feita hoje por uma dirigente associativa à Antena 1.

Em declarações àquela rádio, Maria do Céu Cosmund, dirigente de uma associação portuguesa em Mainz, a 40 quilómetros de Frankfurt, na Alemanha, aponta casos de portugueses aliciados com promessas de trabalho no sector da construção, mas que acabam sem dinheiro para comer e se vêem forçados a pedir esmola.

"Eles vêm para aqui, não têm trabalho, não têm onde dormir, dormem em 'containers' (contentores), e depois estão nas estações a pedir às pessoas que passam para lhes darem algum dinheiro para comer,  e nem podem ir embora porque nem dinheiro têm para regressar", disse Maria do Céu Cosmund à Antena 1.

A dirigente associativa diz também que há casos de portuguesas aliciadas com promessas de trabalho nas limpezas mas que acabam a prostituir-se para sobreviver.

"Vi muitas raparigas licenciadas que vieram para aqui, não tinham emprego e estavam a prostituir-se", denunciou Maria do Céu Cosmund à Antena 1. Segundo a dirigente associativa, trata-se de mulheres "angariadas por portugueses" para trabalhar nas limpezas, mas que quando chegaram à Alemanha não conseguiram trabalho.

A denúncia acontece no mesmo dia em que o presidente do Sindicato da Construção de Portugal, Albano Ribeiro, alertou para situações de "escravatura contemporânea" na Alemanha, havendo casos em que os portugueses ganham três vezes menos do que os alemães, disse o sindicalista à Antena 1.

O dirigente sindical, que esteve no Luxemburgo em Março, depois de o jornal CONTACTO ter denunciado casos de exploração de portugueses recrutados em Portugal, reafirmou que há casos de exploração também no Grão-Ducado e pessoas com salários em atraso há seis meses.

Na altura, em declarações ao CONTACTO, o presidente do sindicato português disse que há pessoas “em situação muito vulnerável, económica e financeiramente", por causa da crise em Portugal, "que são facilmente aliciadas por angariadores de mão-de-obra, que lhes prometem salários de três mil euros no Luxemburgo ou de 1.500 euros em França, acabando muitos abandonados".


Notícias relacionadas

Trabalhadores recrutados em Portugal acabam explorados em obras no Luxemburgo
Há portugueses recrutados por empresas de construção em Portugal para trabalhar no Luxemburgo que acabam a ser explorados. Recebem salários muito abaixo do mínimo luxemburguês e trabalham domingos e feriados. Sem conhecerem o país nem a língua, são poucos os que apresentam queixa, diz o 
sindicato LCGB.