Escolha as suas informações

Detido lusodescendente durante as comemorações do Dia Nacional de França
Mundo 2 min. 14.07.2019

Detido lusodescendente durante as comemorações do Dia Nacional de França

Detido lusodescendente durante as comemorações do Dia Nacional de França

Foto: AFP
Mundo 2 min. 14.07.2019

Detido lusodescendente durante as comemorações do Dia Nacional de França

Entre os detidos, que estavam a assobiar o Presidente francês Emmanuel Macron quando passava revista às tropas em parada, está o lusodescendente Jérôme Rodrigues, que perdeu um olho numa manifestação dos coletes amarelos em janeiro, devido a um disparo de uma bala de borracha pela polícia.

Dezenas de pessoas, entre as quais ativistas dos "coletes amarelos", foram detidas durante as comemorações da dia da tomada da Bastilha. "Organização de manifestação proibida" foi a justificação da polícia francesa para indentificar e deter vários dirigentes dos "coletes amarelos". Entre os detidos, que estavam a assobiar o Presidente francês Emmanuel Macron quando passava revista às tropas em parada, está o lusodescendente Jérôme Rodrigues, que perdeu um olho, numa manifestação dos "coletes amarelos" em janeiro, devido a um disparo, pela polícia, de uma bala de borracha.

Foi a primeira vez, desde 14 de março, que os "coletes amarelos" conseguiram chegar aos Campos Elísios. Segundo a perfeitura, mais de 152 foram interpeladas e detiras pela polícia à margem dos desfiles oficiais, entre os quais os dirigentes dos "coletes amarelos" Éric Drouet e Maxime Nicole, que são como o lusodescendente umas das principais figuras do movimento. 

Foi depois da cerimónia que a situação se agravou. Cerca das 14.30, manifestantes com a cabeça tapada investiram na avenida, levando com eles as barreiras colocadas pela polícia. Caixotes de lixo foram incendiados e a polícia respondeu com granadas de gás lacrimogénio.  As 16 horas a perfeitura da polícia usou a sua conta oficial de Twitter para dizer que "as forças da ordem retomaram o terreno e continuarão a proceder à dispersão sistemática dos manifestantes presentes nos Campos Elísios". A presidente do Rassemblement National (partido de extrema-direita que sucedeu à Frente Nacional), Marine Le Pen exigiu nas redes sociais a demissão do ministro do Interior: "Como é possível que marginais de extrema-esquerda consigam estragar o dia da nossa festa nacional? ".   "Quem tentou impedir o desfile devia ter vergonha. Hoje é um dia em que a nação de une e julgo que o país deve ser respeitado”, afirmou o ministro do Interior francês Christophe Castaner, aos jornalistas.

Segundo a agência espanhola EFE, que cita fontes da câmara municipal da capital francesa, a maioria foi detida por participar numa manifestação não autorizada, mas também houve detenções por atos violentos contra as autoridades, destruição de bens públicos e posse de armas.    

 O desfile contou com 67 aviões da Força Aérea francesa, 4.300 tropas a pé, 196 veículos militares, 237 tropas a cavalo e 40 helicópteros. Tal como todos os anos, desde 1980, o desfile começou no Arco do Triunfo e terminou na Praça da Concórdia  

Depois de oito meses de mobilização, os "coletes amarelos" franceses, embora menos numerosos, continuam a existir. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.