Escolha as suas informações

Bombeiros resgatam segundo corpo dos escombros de estrutura que colapsou em Antuérpia
Mundo 2 min. 19.06.2021
Desabamento em Antuérpia

Bombeiros resgatam segundo corpo dos escombros de estrutura que colapsou em Antuérpia

Desabamento em Antuérpia

Bombeiros resgatam segundo corpo dos escombros de estrutura que colapsou em Antuérpia

Foto: AFP
Mundo 2 min. 19.06.2021
Desabamento em Antuérpia

Bombeiros resgatam segundo corpo dos escombros de estrutura que colapsou em Antuérpia

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
Notícias avançadas ontem pelos serviços consulares portugueses confirmavam a morte de três trabalhadores portugueses, mas equipas no terreno ainda não confirmam número de vítimas, nem respetivas identidades.

As equipas de bombeiros belgas recuperaram um segundo corpo dos escombros causados pelo colapso parcial da estrutura de uma nova escola em Antuérpia, ontem à tarde, noticia, este sábado, o jornal Brussels Times.

O acidente, segundo avançou o Ministério dos Negócios Estrangeiros português, vitimou três trabalhadores portugueses, sendo que haveria ainda um quarto operário luso desaparecido.

Numa resposta enviada à agência Lusa, o ministério de Augusto Santos Silva lamentou “profundamente a morte de três cidadãos no desabamento de um edifício” em Antuérpia.

“O MNE acompanha a situação através da Embaixada de Portugal em Bruxelas, que procura contactar as famílias destes cidadãos e prestar todo o apoio necessário no âmbito das suas competências”, refere a nota.

No entanto, as informações das equipas no terreno não confirmavam, ontem à noite, nem a morte de três pessoas, nem a respetiva nacionalidade.

O primeiro balanço apontava para um morto, cinco desaparecidos e oito feridos, vários em estado grave. Horas depois do resgate da primeira vítima mortal dos escombros, foi resgatada uma segunda (noticiada esta manhã), estando ainda desaparecidas quatro pessoas, que se presume serem de nacionalidade portuguesa, de acordo com Brussels Times, que cita como fonte a mulher de um dos operários portugueses.

De acordo com a informação avançada ontem pelo jornal Gazet van Antwerpen, que citava a empresa Goorden Bouw en Service, para a qual os funcionários lusos trabalham, um dos portugueses chama-se Carlos Rocha e mora em Antuérpia há um ano. 

A mulher, Adriana, afirmou que logo após o desabamento do prédio, tentou ligar para o marido, mas não consegui falar com ele. "Não sei onde ele está nem como está", afirmou então.

Informações contraditórias

A informação confirmada ontem, ainda ao final da tarde, pelas autoridades portuguesas, sobre morte de três trabalhadores portugueses terá sido avançada por fontes oficiais belgas e comunicada aos serviços consulares portugueses, com detalhes da nacionalidade, dos nomes dos operários e da sua localidade de origem em Portugal, noticia, hoje, o Diário de Notícias.

Contudo, segundo o mesmo jornal, que cita fonte dos bombeiros no local, estes  garantiram que ontem à noite tinha sido apenas confirmada uma vítima mortal.

As buscas por aqueles que ficaram presos nos destroços prosseguem, com a ajuda de cães pisteiros e drones.

O empreiteiro responsável pela obra levou para o local equipamento pesado para ajudar a estabilizar partes da estrutura para que as buscas prossigam em segurança, uma vez que o estado instável dos destroços dificultam a ação das equipas de resgate.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas