Escolha as suas informações

Deputada britânica repreendida por levar bebé de três meses para o Parlamento
Mundo 2 min. 24.11.2021
Reino Unido

Deputada britânica repreendida por levar bebé de três meses para o Parlamento

A deputada Stella Creasy foi repreendida por aparecer na Câmara dos Comuns com o filho bebé de três meses ao colo.
Reino Unido

Deputada britânica repreendida por levar bebé de três meses para o Parlamento

A deputada Stella Creasy foi repreendida por aparecer na Câmara dos Comuns com o filho bebé de três meses ao colo.
Foto: House Of Commons/PA Wire/dpa
Mundo 2 min. 24.11.2021
Reino Unido

Deputada britânica repreendida por levar bebé de três meses para o Parlamento

Tiago RODRIGUES
Tiago RODRIGUES
A deputada britânica Stella Creasy foi repreendida por aparecer na Câmara dos Comuns com o filho bebé de três meses ao colo, na terça-feira. A membro do Partido Trabalhista pediu esclarecimentos urgentes, lembrando que isso não tinha sido um problema em ocasiões anteriores. O episódio desencadeou novos debates sobre os direitos dos deputados que se tornam pais.

A deputada publicou na sua página do Twitter uma imagem de um e-mail oficial a informá-la que as regras da Câmara dos Comuns tinham sido atualizadas no início de setembro e que um deputado não pode estar "acompanhado por uma criança". 

"Aparentemente o Parlamento criou uma regra que diz que não posso levar o meu bebé de três meses bem comportado e a dormir quando falo na Câmara", escreveu Stella Creasy, na terça-feira à noite. 

A britânica salientou que, por outro lado, "ainda não existem regras sobre o uso de máscaras". "Parece que as mães não devem ser vistas nem ouvidas na mãe de todos os Parlamentos".

Embora as regras da Câmara dos Comuns estabeleçam que os deputados não devem aparecer com crianças ou bebés, Creasy já levou ambos os filhos para o Parlamento noutras ocasiões, sem que fossem apresentadas quaisquer queixas, recorda a AFP.

A proibição de levar uma criança para o Parlamento já estava nas regras anteriores, mas desde há muito tempo que a deputada tem feito campanha para uma melhor inclusão das mães na política.

Foto: AFP

Segundo o jornal The Guardian, a nova edição das regras, publicada em setembro, estipula que os deputados podem andar com bebés ou crianças nas zonas comuns e, se necessário, na Câmara dos Comuns quando vão votar. Mas acrescenta que, nas restantes ocasiões, o deputado "não se deve sentar na Câmara quando acompanhado pelo filho, nem ficar de pé nas extremidades".

No fim de setembro, Creasy apareceu na Câmara dos Comuns com o recém-nascido para apelar ao presidente do Conselho, Jacob Rees-Mogg, que apoiasse em vez de "repreender" as mães que regressam ao Parlamento e que não têm uma licença de maternidade adequada. 

Rees-Mogg defendeu as regras, mas disse a Creasy que queria "felicitá-la pelo comportamento impecável do seu filho".

Desde fevereiro, as ministras britânicas têm direito a seis meses de licença de maternidade remunerada e a uma substituta, enquanto anteriormente eram obrigados a demitir-se.

Os deputados que não pertencem ao Governo não são substituídos. Podem votar por procuração desde 2019, depois de a deputada trabalhista Tulip Siddiq atrasar uma cesariana e chegar numa cadeira de rodas para evitar perder uma votação importante sobre o Brexit. 

Foto: AFP

No The Guardian, Creasy escreveu que os cidadãos do círculo eleitoral de  Walthamstow ficariam "privados de representação" se parasse de trabalhar, acrescentando que "qualquer pessoa com um bebé de três meses sabe que é demasiado jovem para ser deixado sozinho".

Questionado sobre o assunto na BBC, o vice-primeiro-ministro Dominic Raab afirmou: "Precisamos de nos certificar de que a nossa profissão está apta para o século XXI e que permite aos pais fazer malabarismos com o trabalho e o tempo familiar".

Raab acrescentou que "cabe à Câmara dos Comuns decidir" sobre essa matéria e que a presença de um bebé no Parlamento "não o impede" de fazer o seu trabalho.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.