Escolha as suas informações

Breves Mundo 2 min. 14.03.2019

Dados das caixas negras do avião da Ethiopian Airlines já estão em França

Os registos das caixas negras do avião da Ethiopian Airlines, que caiu no domingo e causou 157 mortos, já estão em França, mas não há uma previsão sobre a duração da sua análise, declarou hoje um responsável do BEA.

Um funcionário do Escritório de Investigação e Análise para a Segurança da Aviação Civil de França (BEA, sigla em francês) disse à agência de notícias Associated Press (AP) que os dados das duas caixas negras do Boeing 737 Max 8 já chegaram a França, sem adiantar um prazo para a duração da sua análise.

O BEA tem experiência com acidentes aéreos globais e a sua perícia é frequentemente solicitada sempre que um avião da Airbus tem algum acidente, isso porque este fabricante aeronáutico está sediado em França.

A Ethiopian Airlines confirmou igualmente que uma delegação etíope liderada pelo seu departamento de investigação de acidentes enviou os dados de voo e dos gravadores de voz da cabine para Paris.

Mais de 40 países, incluindo os Estados Unidos, estão a deixar em terra os aviões Boeing 737 Max 8, após o segundo acidente fatal envolvendo o modelo nos últimos meses.

A companhia aeronáutica norte-americana Boeing anunciou na quarta-feira que continua a ter “total confiança na segurança dos 737 Max”, mas que as autoridades dos Estados Unidos lhe “recomendaram” a suspensão temporária de toda a frota desses aparelhos.

Segundo um comunicado da empresa com sede em Chicago, no Estado norte-americano do Illinois, a decisão de suspender os voos dos 737 Max foi tomada depois de consultar a Administração Federal da Aviação (FAA, na sigla em inglês) e a Associação Nacional de Segurança nos Transportes.

A Boeing acrescentou que esta é uma medida “de precaução, para tranquilizar todos os passageiros sobre a segurança da aeronave”.

O comunicado da empresa foi divulgado minutos após o Presidente norte-americano, Donald Trump, ter anunciado a suspensão dos voos dos modelos 737 Max 8 e 9.

Após o acidente, a Agência Europeia de Segurança Aérea (EASA) proibiu na terça-feira o modelo 737 Max 8 de operar no continente europeu, juntando-se a 20 países e 30 companhias aéreas de todo o mundo que suspenderam os voos com esses aparelhos.

Outros países suspenderam os voos do modelo em seus espaços aéreos e muitas companhias aéreas estão a deixar os aparelhos em terra.

A queda deste avião no domingo, que saiu de Adis Abeba com destino a Nairobi, ocorreu depois de, em outubro do ano passado, outro Boeing 737 MAX 8, da companhia Lion Air, se ter despenhado na Indonésia, 12 minutos após a descolagem, segundo uma das caixas negras devido a falha no sistema automático, causando 189 mortos.

Lusa

Breves Luxemburgo 18.10.2019

Número de mortos em explosão de uma mesquita no Afeganistão aumenta para 62

O número de vítimas na explosão numa mesquita na província de Nangarhar, no leste do Afeganistão, aumentou para 62 mortos e 36 feridos, segundo a última atualização das autoridades locais.  

Uma explosão no interior de uma mesquita no distrito de Haskamena, na província afegã de Nagarhar, fez desabar o tecto do edifício.  

O ataque na zona leste do Afeganistão aconteceu quando dezenas de pessoas se encontravam no interior da mesquita para as orações de sexta-feira. A explosão fez desabar o teto. Segundo Attahullah Khogyani, porta-voz do governador da província, 36 pessoas ficaram feridas.

O incidente acontece um dia depois de as Nações Unidas terem alertado para o aumento da violência no país, que atingiu níveis “inaceitáveis”.

Breves Luxemburgo 18.10.2019

Luxemburgo cria estágios remunerados lá fora

(AG)- O Ministério da Economia quer envolver os jovens licenciados na promoção económica internacional do Luxemburgo, através de estágios remunerados.

O ministério tem uma rede de apoio às empresas que se internacionalizam e desenvolvem a sua atividade no estrangeiro.

Os estágio remunerados, de três meses, abrangem, atualmente, empresas instaladas em Nova Iorque, São Francisco, Seul, Tóquio, Xangai, Telavive, Abu Dabi e Taipei.

O objetivo destes estágios é familiarizar os jovens com o trabalho diário daquela rede, num contexto de promoção económica do país no exterior.

Os jovens interessados devem enviar as respetivas candidaturas ao Ministério da Economia, até 15 de novembro deste ano.

Breves Luxemburgo 18.10.2019

Número de pedidos de asilo diminuiu em setembro

(SM)- O Luxemburgo registou 158 pedidos de proteção internacional no mês passado, ou seja menos 25 do que em agosto.

Os dados da Direção da Imigração, avançados esta manhã, dão conta da entrada de 1.536 pedidos, desde janeiro deste ano.

A Eritreia, com 34 pedidos, foi o país de origem da maior parte dos requerentes em setembro. Nos lugares imediatos estão os sírios (24) e os afegãos (16).

A Direção da Imigração atribuiu o estatuto de refugiado a 51 pessoas, aumentando o número de cidadãos, com esse estatuto para 513, desde o início do ano.

De referir que 2018 fechou com 2.205 pedidos de asilo, menos 113 do que em 2017.

Breves Luxemburgo 18.10.2019

"Klare Suppe" da marca Rapunzel pode conter pedaços de vidro

As autoridades da segurança alimentar do Luxemburgo alertam para "a possível presença de pedaços de vidro" nas sopas "Klare Suppe" da marca Rapunzel, à venda nas lojas Pall Center, Cactus, Naturata e ainda na Amazon.

O produto foi retirado do mercado, mas alguns dos frascos podem já ter sido vendidos, segundo o comunicado. 

O produto em questão tem o número de lote 4006040271017 , foi produzido na Alemanha e o prazo de validade é 18.09.2020.

Quem tiver este produto na sua casa, é aconselhado a não o consumir.

Se precisa de casacos esta é uma boa oportunidade
Breves Luxemburgo 18.10.2019

Vem aí o Domingo dos Casacos

(MP) - O “Mantelsonndeg” é uma tradição luxemburguesa de longa data. A origem do Domingo dos Casacos, na tradução em português, remonta à época onde as gentes do campo e das aldeias se deslocavam à capital do país no domingo que precedia o Dia de Todos os Santos para comprar um casaco para enfrentar as baixas temperaturas do inverno. Na altura, as lojas só abriam ao domingo uma vez por ano, apenas por ocasião do Domingo dos Casacos.

A tradição comercial mantém-se viva com algumas empresas a pagarem um subsídio aos seus empregados para ajudar na compra do tal casaco e sobretudo com os comércios da cidade do Luxemburgo e de outras cidades a abrirem portas na tarde do próximo domingo (20).

Por ocasião desta abertura dominical a rede de autocarros da capital (VDL) será gratuita para todos os utentes.