Escolha as suas informações

Covid assombra campanha norte-americana. Donald Trump estará infetado
Mundo 3 min. 02.10.2020 Do nosso arquivo online

Covid assombra campanha norte-americana. Donald Trump estará infetado

Covid assombra campanha norte-americana. Donald Trump estará infetado

AFP
Mundo 3 min. 02.10.2020 Do nosso arquivo online

Covid assombra campanha norte-americana. Donald Trump estará infetado

Donald e Melania Trump estarão infetados pelos novo coronavírus e entraram em isolamento em plena corrida à Casa Branca.

O Presidente norte-americano e primeira dama dos EUA terão contraído o novo coronavírus depois de uma conselheira presidencial ser diagnosticada esta quinta-feira. A informação foi avançada pelo próprio chefe de Estado através da rede social Twitter. "Esta noite, Melania e eu testamos positivo para a covid-19. Vamos começar o nosso processo de quarentena e recuperação imediatamente. Vamos ultrapassar isto juntos", escreveu. 

Melania Trump fez o mesmo.  "Como muitos norte-americanos fizeram este ano, Donald Trump e eu estamos em quarentena em casa depois de um teste positivo à covid-19. Estamos a sentir-nos bem e adiamos todos os compromissos dos próximos tempos. Por favor, certifiquem-se de que estão seguros e ultrapassaremos isto juntos", complementou também no Twitter. 

Citada pelo The New York Times, a equipa médica do atual Presidente e também candidato às eleições de novembro confirma que o casal vai "permanecer e casa" durante a convalescença, não entrando em pormenores nem sobre o estado de saúde nem sobre os sintomas de Donald e Melania Trump. 

"A equipa médica da Casa Branca e eu vamos manter uma vigilância, e agradeço o apoio prestado por alguns dos maiores profissionais e instituições médicas do nosso país. Fiquem descansados, espero que o Presidente continue a desempenhar as suas funções sem interrupções durante a recuperação, e manter-vos-ei informados sobre quaisquer desenvolvimentos futuros", limitou-se a comunicar o médico responsável, Sen Conley. 

Campanha condicionada 

Com as presidenciais agendadas para 3 de novembro, o isolamento vem condicionar a campanha e levanta inclusivamente dúvidas sobre uma eventual transmissão do novo coronavírus ao candidato dos democratas, Joe Biden, que esteve num frente a frente com Donald Trump, esta terça-feira. 

O facto da colaboradora infetada, a conselheira presidencial Hope Hicks, também ter estado no debate está no centro de todas as especulações. Hicks viajou com o Presidente várias vezes recentemente, incluindo para o debate presidencial em Cleveland na terça-feira. 

A CNN acrescenta que a mulher de confiança do Presidente foi vista a embarcar no  Air Force One presidencial com vários outros assessores mais próximos do presidente - Jared Kushner, Dan Scavino e Nicholas Luna. Nenhum usava máscaras, na quarta-feira, quando Trump se dirigia posteriormente para um comício de campanha em Minnesota.

De resto, Hicks não foi a primeira colaboradora direta do Presidente a ser diagnosticada com o SARS-CoV-2. No fim de julho, o conselheiro de Segurança Nacional de Trump, Robert O'Brien, também testou positivo, sem que isso tive qualquer tipo de repercussão na saúde de Donald Trump. 

Desde ai que a Casa Branca instituiu um regime de testes diários aos assistentes do chefe de Estado. 

E agora?

A 33 dias das presidenciais, Trump corre sérios riscos de se retirar da campanha. Até ser dado como recuperado, o Presidente deverá parar os comícios agendados em cada um dos estados norte-americanos. 

Os EUA continuam a ser o país mais afetado pela pandemia com mais de 200 mil mortos e um total 7 milhões de infetados, desde meados de março. Hora antes de confirmar que tinha contraído a doença provocada pelo novo coronavírus, Trump voltou a dizer que o "fim da pandemia está à vista". 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Em caso de uma hospitalização ou de um agravamento do estado de saúde do chefe de Estado, a Constituição norte-americana prevê que o vice-presidente assuma os comandas da Casa Branca. Para já, a equipa médica de Donald Trump afasta a hipótese.