Escolha as suas informações

Covid-19. União Africana compra até 400 milhões de vacinas à Johnson & Johnson
Mundo 2 min. 29.03.2021 Do nosso arquivo online

Covid-19. União Africana compra até 400 milhões de vacinas à Johnson & Johnson

Covid-19. União Africana compra até 400 milhões de vacinas à Johnson & Johnson

Foto: AFP
Mundo 2 min. 29.03.2021 Do nosso arquivo online

Covid-19. União Africana compra até 400 milhões de vacinas à Johnson & Johnson

Lusa
Lusa
A transação permite que África cumpra quase 50% do objetivo de vacinar 750 milhões de africanos.

A União Africana vai comprar até 400 milhões de vacinas contra a covid-19 à farmacêutica Johnson & Johnson , alcançando metade do objetivo de vacinar 750 milhões de pessoas, anunciou hoje o Banco Africano de Exportações e Importações (Afreximbank).

"Todos os países membros da União Africana vão ter acesso a 200 milhões de doses da vacina da Johnson & Johnson contra a covid-19, com o potencial de poderem encomendar mais 180 milhões de doses adicionais, através de um acordo assinado a 28 de março através do Fundo Africano de Aquisição de Vacinas", lê-se numa nota do Afreximbank enviada esta manhã à Lusa.


Covid-19. Gana é o primeiro país a receber vacinas gratuitas pelo Covax
Dispositivo Covax prevê fornecer cerca de dois mil milhões de vacinas aos países mais desfavorecidos durante 2021.

"A maioria será produzida no gigantesco laboratório da África do Sul operador pela Aspen Pharma e as vacinas serão disponibilizadas aos países africanos através da Plataforma Africana de Fornecimento de Equipamentos Médicos num período de 18 meses", acrescenta-se ainda no texto.

A transação foi possível através do fundo de 2 mil milhões de dólares (1,7 mil milhões de euros) aprovado pelo Afreximbank, que agiu como intermediário financeiro em toda a operação, diz o banco, agradecendo "o apoio da Comissão Económica das Nações Unidas para África e do Fundo Internacional de Emergência das Nações Unidas para as Crianças [UNICEF]".

No comunicado, o banco multilateral vocacionado para os investimentos salienta ainda que esta é a vacina preferida pela maioria dos países africanos e aponta que o pagamento pode ser feito em dinheiro ou usando as plataformas financeiras do próprio Afreximbank.


Só um quarto dos países em desenvolvimento encoraja vacinação
Cerca de 85% dos países que estão a ser avaliados pelo Banco Mundial têm planos de vacinação contra a covid-19, mas apenas um quarto desenvolveu estratégias de mobilização social para encorajar as pessoas a serem vacinadas.

"A aquisição direta das vacinas pelos estados africanos através da iniciativa AVATT [Grupo de Trabalho para a Aquisição de Vacinas em África] faz parte do objetivo continental de atingir um mínimo de 60% de imunização da população africana para eliminar a covid-19, uma meta que está em linha com outras regiões, como a Europa e os Estados Unidos", lê-se no comunicado, que lembra ainda que "a comunidade internacional de doadores comprometeu-se a fornecer 27% das vacinas através da iniciativa Covax e Gavi, enquanto África terá de encontrar o resto".

Para o diretor do Centro Africano de Prevenção e Controlo de Doenças (Africa CDC), John Nkengasong, "esta transação permite que África cumpra quase 50% do objetivo de vacinar 750 milhões de africanos, e a grande vantagem desta vacina é que é de toma única, o que a torna fácil de distribuir de forma rápida e eficaz, e com isso salva vidas".

África regista, desde o início da pandemia, quase 112 mil vítimas mortais e 4,1 milhões de infetados com o coronavírus SARS-CoV-2, de acordo com o África CDC.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas