Escolha as suas informações

Covid-19. Reino Unido atinge recorde de casos com quase cinco milhões de pessoas infetadas
Mundo 02.04.2022
Pandemia

Covid-19. Reino Unido atinge recorde de casos com quase cinco milhões de pessoas infetadas

Pandemia

Covid-19. Reino Unido atinge recorde de casos com quase cinco milhões de pessoas infetadas

Foto: Tolga Akmen/AFP
Mundo 02.04.2022
Pandemia

Covid-19. Reino Unido atinge recorde de casos com quase cinco milhões de pessoas infetadas

Lusa
Lusa
O último aumento foi impulsionado pela variante Ómicron mais transmissível (BA.2) e que é dominante em todo o Reino Unido.

O Reino Unido atingiu um recorde de casos de covid-19, com a prevalência da variante Ómicron, com uma em cada 13 pessoas infetadas na semana passada, revelam hoje os últimos números do Instituto Nacional de Estatística britânico.

Estima-se que cerca de 4,9 milhões de pessoas tenham sido infetadas com o coronavírus na semana que terminou em 26 de março, número superior aos 4,3 milhões registados na semana anterior, segundo o instituto britânico.


Lenert. Pico de infeções por covid-19 é esperado "nos próximos dias"
O Governo garantiu que a situação epidemiológica do Grão-Ducado está controlada, apesar do aumento de infeções que se tem verificado.

O último aumento foi impulsionado pela variante Ómicron mais transmissível (BA.2) e que é dominante em todo o Reino Unido, justificou a mesma entidade.

As hospitalizações e as taxas de mortalidade, por sua vez, estão a aumentar de novo, apesar de o número de pessoas que morrem devido à covid-19 ser ainda relativamente baixo em comparação com o início deste ano.

O professor associado da Universidade de Leeds Stephen Griffin afirmou, entretanto, que “a estratégia do governo de 'viver com a covid-19' sem quaisquer mitigações, isolamento, testes gratuitos e uma parte considerável da vigilância, equivale a nada mais do que ignorar o vírus daqui para frente”.


Medicamento molnupiravir elimina o vírus da covid-19 em três dias
O ensaio clínico confirmou a eficácia do medicamento em adultos não hospitalizados com covid-19 leve ou moderada e com risco de progressão para doença grave.

“A prevalência descontrolada [da covid-19] põe em risco a proteção oferecida pelas vacinas”, alertou o docente, afirmando que “as vacinas são excelentes, mas não são balas de prata, não devem deixar de ser tomadas e não devem ser a única defesa contra a pandemia".

Mais de 67% das pessoas com 12 anos ou mais no Reino Unido já tiveram o reforço da vacina ou a terceira dose da vacina contra o coronavírus e a partir do sábado os pais também podem reservar uma vacina com uma dose mais baixa para as crianças entre os 5 e 12 anos.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O Ministério da Saúde britânico anunciou que vai estender o programa a todas as pessoas com mais de 50 anos, após ter imunizado a maioria dos indivíduos dos grupos etários mais velhos e pessoas com comorbidades de risco.