Escolha as suas informações

Covid-19. O padre que dá a absolvição num confessionário 'drive in' no parque da Igreja
Mundo 8 2 min. 21.03.2020

Covid-19. O padre que dá a absolvição num confessionário 'drive in' no parque da Igreja

Covid-19. O padre que dá a absolvição num confessionário 'drive in' no parque da Igreja

AFP
Mundo 8 2 min. 21.03.2020

Covid-19. O padre que dá a absolvição num confessionário 'drive in' no parque da Igreja

AFP
AFP
O padre Scott Holmer, dos EUA, recebe agora os seus paroquianos no estacionamento da Igreja. As confissões são feitas da janela do carro, ao padre que está cá fora. A fé mantém-se em tempos da crise do coronavírus.

A pandemia do novo coronavírus obrigou-o a encerrar o seu confessionário na igreja, mas o padre Scott Holmer não quis deixar de escutar os seus paroquianos de Maryland, nos EUA e dar a absolvição. 

Pensou, pensou e encontrou uma solução. O seu confessionário agora é ao ar livre e em modo 'drive-in' no estacionamento de sua igreja. Nos EUA como em muitos países da Europa, como no Grão-Ducado, as igrejas foram encerradas e as missas, batizados e casamentos foram cancelados. Até os funerais são restringidos apenas a poucos familiares.

Todos os dias, excepto ao domingo e quando o tempo o permite, Sctott Holmer senta-se numa cadeira, vestido com a sua batina. Duas filas de cones e um sinal apontam o caminho de carro para o padre na Igreja de St. Edward The Confessor in Bowie, uma pequena cidade a cerca de 20 milhas de Washington. 

Confissão à janela do carro

O condutor baixa a janela e confessa seus pecados ao Padre Holmer que, após algumas palavras de encorajamento para voltar ao caminho de Deus, lhe dá a absolvição. 

"A diocese cancelou todas as massas para evitar a propagação do vírus, mas não decidiu nada sobre confissões", disse ele à AFP. 

"Pensei, vou apenas transferir-me para céu aberto, no estacionamento da igreja, para evitar contaminar ou ser contaminado", contou. Scott Holmer tem o cuidado de manter uma distância segura, de 1,80 metros e pede aos paroquianos que permaneçam nos seus veículos. 

Para casais ou famílias, a confissão é feita para quem se senta no lugar do condutor. E eles vão trocando. Mas, também há os que desejam fazer uma confissão anónima, então o padre tapa os olhos com uma venda. 

 "Deus está comigo"

A verdade é que o confessionário drive in está a ser um sucesso com as filas de carros a serem cada vez maiores. "É muito estranho ter que me preocupar com coisas espirituais e terrenas ao mesmo tempo", admite o padre, que às vezes pede aos paroquianos para desligarem o motor para guardar o segredo da confissão. 

"Eu não quero gritar e fazer ouvir a nossa conversa", diz ele com um sorriso. Ele diz receber muitos agradecimentos dos paroquianos por poderem "receber o sacramento", quando pensava que muitos não iria mais pedir a absolvição dos seus pecados, "não terem mais medo" por pensarem nesta pandemia "como se fosse o fim do mundo". Mas não. "As pessoas estão felizes em ver que ainda estamos com elas, mesmo que não possamos celebrar a missa", garante o padre Scott Holmer.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.