Escolha as suas informações

Covid-19. Mais de 5.000 vacinas falsas apreendidas pela Interpol
Mundo 4 04.03.2021

Covid-19. Mais de 5.000 vacinas falsas apreendidas pela Interpol

Covid-19. Mais de 5.000 vacinas falsas apreendidas pela Interpol

Foto: AFP
Mundo 4 04.03.2021

Covid-19. Mais de 5.000 vacinas falsas apreendidas pela Interpol

AFP
AFP
A organização internacional de polícia desmantelou uma rede na China e apreendeu 2.400 doses na África do Sul. Ao todo, 83 pessoas foram presas.

Esta é apenas "a ponta do iceberg", diz a Interpol. A organização internacional de luta contra o crime anunciou a descoberta de uma operação de vacinas falsas na China, ao mesmo tempo que apreendia 2.400 doses de vacinas falsas do outro lado do mundo, na África do Sul. 

"As autoridades da África do Sul apreenderam centenas de vacinas falsas contra covid-19 após o nosso alerta da Interpol, que advertia que as vacinas seriam o alvo preferido das redes criminosas", lê-se em comunicado. Três cidadãos chineses e um zambiano foram presos durante as buscas.

Já na China, a polícia prendeu outras 80 pessoas sob suspeita de pertencerem a uma rede organizada e apreendeu três mil doses falsas de vacinas contra a covid-19. "Este resultado é apenas o começo no que diz respeito ao crime organizado relacionado com as vacinas", alertou o secretário-geral da Interpol, Jürgen Stock.

E esta não é a primeira vez que o mercado negro das vacinas contra a covid-19 dá que falar. Há apenas duas semanas, as autoridades belgas alertaram para a circulação de vacinas falsas "aparentemente de origem russa" no país e aconselharam todas as pessoas a esperar pelas "únicas vacinas seguras e eficazes que são gratuitas e administradas em centros de vacinação, hospitais ou casas de repouso e cuidados". 

Numa altura em que a Comissão Europeia  já deixou o alerta sobre os perigos de adquirir vacinas no mercado negro, o Ministério da Saúde do Luxemburgo pronunciou-se sobre o assunto, afirmando que, até ao momento, não havia casos de circulação indevida de vacinas falsas no país.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas