Escolha as suas informações

Covid-19. Itália regista ultrapassa oito mil casos diários e Reino Unido regista mais de cem mortes
Mundo 3 min. 15.10.2020

Covid-19. Itália regista ultrapassa oito mil casos diários e Reino Unido regista mais de cem mortes

Covid-19. Itália regista ultrapassa oito mil casos diários e Reino Unido regista mais de cem mortes

Foto: Jacob King/PA Wire/dpa
Mundo 3 min. 15.10.2020

Covid-19. Itália regista ultrapassa oito mil casos diários e Reino Unido regista mais de cem mortes

Lusa
Lusa
Itália aproxima-se dos nove mil casos e no Reino Unido há mais de 130 vítimas mortais nas últimas 24 horas.

Itália registou hoje aumento de contágios de covid-19, ao contabilizar 8.804 novos casos nas últimas 24 horas, contra os 7.332 da véspera, o que constitui um novo recorde absoluto de infeções desde o início da pandemia.

Segundo os dados do Ministério da Saúde italiano, o total de novos contágios coincide com o aumento do número de estes de diagnóstico que, nas últimas 24 horas, ascenderam a quase 163.000.

Com os novos casos diários de infeção, Itália acumula desde fevereiro 381.602 pessoas infetadas com o novo coronavírus.Em relação aos óbitos nas últimas 24 horas, o Ministério da Saúde italiano contabilizou 83, quase o dobro dos registados quarta-feira, elevando o total de mortes para 36.372.

A aumentar continua também o número de pacientes hospitalizados, que são já quase 5.800 em todo o país, enquanto o de internados nas unidades de cuidados intensivos subiu em 47 para um total de 586.O Governo italiano está a aprovar várias restrições por decreto – foi prolongado o estado de emergência até 31 de janeiro de 2021 -, embora o primeiro-ministro Giuseppe Conte negue, para já, que o país possa regressar novamente a um confinamento total.

Reino Unido com mais 138 mortes, terceiro dia consecutivo acima da centena

O Reino Unido registou 138 mortes, o terceiro dia consecutivo em que ultrapassa a barreira da centena, e 18.980 novas infeções de covid-19, nas últimas 24 horas, anunciou hoje o Ministério da Saúde britânico.

Na quarta-feira tinham sido registadas 137 mortes e 19.724 novos casos. 

O total acumulado desde o início da pandemia covid-19 no Reino Unido é agora de 673.622 casos de infeção confirmados e de 43.293 óbitos registados num período de 28 dias após as vítimas terem recebido um teste positivo.  

O número de pessoas hospitalizadas também aumentou, para 4.941, das quais 563 com auxílio respiratório por ventilador. 

Hoje, o ministro da Saúde, Matt Hancock, anunciou no parlamento que Londres e várias outras áreas de Inglaterra vão ser elevadas para o segundo nível de restrições desenhadas para tentar conter a pandemia de covid-19. 

O nível "muito elevado”, o segundo mais alto de uma escala de três, proíbe o convívio entre agregados familiares em espaços fechados como casas ou locais públicos como bares e restaurantes, para além das medidas atualmente em vigor. 

A maior parte da Inglaterra ainda se encontra no nível “médio”, o mais baixo desta escala, que permite o convívio social em espaços fechados ou ao ar livre, mas em grupos de até seis pessoas e obriga ao encerramento de bares e restaurantes às 22:00.

Hancock admitiu que o vírus está a crescer “exponencialmente” no Reino Unido, mas defendeu a estratégia de tentar agir localmente para suprimir o vírus e evitar a sobrecarga dos serviços de saúde sem fechar escolas nem a atividade económica.

“O vírus não está a espalhar-se de forma uniforme e a situação é particularmente grave em várias partes do país”, afirmou, adiantando que na capital britânica, o número de casos está a duplicar a cada 10 dias e a taxa média ao longo dos últimos sete dias até hoje é de 97 casos por 100 mil habitantes.

Entretanto, autarcas da região de Manchester e norte de Inglaterra estão a pressionar o governo para oferecer mais apoio financeiro a trabalhadores e empresas locais quando estas áreas passarem para o grau máximo de restrições, que implica, por exemplo, o encerramento do setor da restauração.

  A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão e noventa e três mil mortos e mais de 38,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.    

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas