Escolha as suas informações

Covid-19. Espanha, Reino Unido e Itália com crescimento dos contágios
Mundo 4 min. 21.08.2020 Do nosso arquivo online

Covid-19. Espanha, Reino Unido e Itália com crescimento dos contágios

Covid-19. Espanha, Reino Unido e Itália com crescimento dos contágios

Foto: AFP
Mundo 4 min. 21.08.2020 Do nosso arquivo online

Covid-19. Espanha, Reino Unido e Itália com crescimento dos contágios

Lusa
Lusa
Espanha ultrapassa os 386 mil contaminados. O Reino Unido anuncia reforço das restrições. Na Itália, grande parte dos novos casos são classificados pelas autoridades de saúde como importados.

O Ministério da Saúde espanhol anunciou hoje que contabilizou mais 8.148 casos da doença covid-19, 3.650 das quais nas últimas 24 horas, sendo que um terço foi registado na Comunidade de Madrid, que somou 1.199 novos contágios.

Com estes dados, o número total de contágios desde o início da pandemia subiu para 386.054.

Ainda segundo o último relatório das autoridades sanitárias, 28.838 pessoas já morreram em consequência da pandemia de covid-19, 125 das quais durante a última semana.

Depois de Madrid, e face à ausência de dados de Cantábria, a comunidade com mais casos detetados nas últimas 24 horas foi o País Basco, com 685, seguido de Aragão (342), e Andaluzia (303).

Reino Unido reforça restrições

O Reino Unido registou mais duas mortes e 1.033 infeções de covid-19 nas últimas 24 horas, anunciou hoje o Ministério da Saúde britânico, que reforçou as restrições em algumas partes do país devido ao aumento do índice de contágio. 

Na quinta-feira tinham sido registadas 16 mortes e 812 novas infeções. 

O balanço oficial acumulado de mortes de pessoas que testaram positivo passou hoje para 41.405 óbitos, e o número de infeções diagnosticadas desde o início da pandemia de covid-19 é de 323.313 casos. 

Os números sugerem que a situação está a piorar e a disseminação do vírus pode estar a aumentar em vez de diminuir, de acordo com os cientistas que aconselham o governo britânico.

Segundo o Grupo de Aconselhamento Científico para Emergências (SAGE), o índice de contágio ‘R’ do novo coronavírus continua e aumentou para entre 0,9 e 1,1, com destaque para Londres, nas regiões noroeste e sudoeste da Inglaterra.

O ministério da Saúde decidiu reforçar as restrições relacionadas com a pandemia de covid-19 em várias áreas do noroeste de Inglaterra, enquanto que Birmingham, a segunda cidade mais populosa do Reino Unido, foi colocada sob vigilância devido a um surto de casos.

A partir da meia-noite, os residentes das cidades de Oldham e Blackburn, bem como partes do distrito de Pendle, que tem quase meio milhão de habitantes, não poderão encontrar-se com pessoas de agregados familiares diferentes, seja em espaços interiores ou ao ar livre. 

No entanto, as autoridades não impuseram um confinamento total, pelo que restaurantes, bares e creches vão continuar abertos, e as escolas mantêm a reabertura planeada para o início de setembro.

Segundo o governo, “os dados locais indicam que o aumento (dos casos positivos) continua a ser provocado por encontros entre pessoas de grupos de idades mais jovens, entre os 20 e os 39 anos”.

Em Birmingham, acrescentou, "os casos da covid-19 estão a aumentar rapidamente”, sendo mais da metade dos casos na semana passada registados entre jovens de 18 a 34 anos.

Restrições em vigor vão continuar nas regiões de Lancashire, Área Metropolitana de Manchester e West Yorkshire, onde são permitidos encontros entre dois agregados familiares. 

Na cidade de Northampton, no centro de Inglaterra, também foi identificado um surto quase exclusivamente ligado aos trabalhadores empresa Greencore, que produz sanduíches para supermercados, e onde quase 300 trabalhadores tiveram resultado positivo.

A fábrica decidiu fechar voluntariamente a partir de sexta-feira e os funcionários e famílias vão ficar em isolamento em casa durante duas semanas.

Números continuam a subir em Itália com quase 1.000 novos casos num dia

A Itália continua a registar um aumento de contágios do novo coronavírus com 947 novos casos confirmados nas últimas 24 horas, quase o dobro dos registados há uma semana, segundo dados do Ministério da Saúde.

De quinta-feira para hoje, registaram-se nove mortes associadas à covid-19.

No total, desde o início da pandemia, em fevereiro, Itália contabiliza 257.065 casos de infeção e 35.427 mortes.

O país tem registado desde há uma semana um aumento consistente de novos casos, atingindo níveis que não se verificavam desde maio.

A região mais afetada continua a ser a Lombardia (norte), com 174 casos nas últimas 24 horas, contra 154 na véspera.

Segue-se a Lácio, região da capital, Roma, menos afetada durante o pico da pandemia mas que ao longo do verão tem registado um forte crescimento de casos, com 137 novos casos de quinta-feira para hoje.

Com grande parte (28,3%) dos novos casos classificados pelas autoridades de saúde como importados, o Governo italiano reforçou o controlo das chegadas de passageiros provenientes de países considerados “de risco”, como Espanha, Grécia e Malta.

Também foi reforçado o controlo dos locais de lazer noturnos, identificados como origem de muitos dos novos contágios, tendo sido decretado o encerramento das discotecas.

A idade média dos novos casos situa-se nos 30 anos.

Segundo o relatório semanal do Instituto de Saúde italiano, “a circulação [do vírus] ocorre agora com maior frequência entre os mais jovens, num contexto de reabertura dos locais de reunião e da maior mobilidade”.

Um dos países europeus mais afetados pela atual pandemia, a Itália iniciou, em maio, um plano faseado de desconfinamento da população e uma retoma gradual da atividade económica, após mais de dois meses de confinamento.


O vírus SARS-CoV-2, responsável pela pandemia de covid-19, já fez mais de 793.000 mortos e infetou mais de 22 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço da agência AFP.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas