Escolha as suas informações

Covid-19. Diretora de instituto de Wuhan nega responsabilidade sobre pandemia
Mundo 2 min. 24.05.2020

Covid-19. Diretora de instituto de Wuhan nega responsabilidade sobre pandemia

Covid-19. Diretora de instituto de Wuhan nega responsabilidade sobre pandemia

Foto: /YNA/dpa
Mundo 2 min. 24.05.2020

Covid-19. Diretora de instituto de Wuhan nega responsabilidade sobre pandemia

Lusa
Lusa
Essas suspeitas são "pura fabricação", disse a diretora do instituto chinês.

O Instituto de Virologia de Wuhan, na China, acusado pelos Estados Unidos de deixar escapar o vírus da covid-19, anunciou hoje ter três tipos vivos de coronavírus de morcego, mas nenhum corresponde à covid-19.


(FILES) In this file photo US Secretary of State Mike Pompeo pauses while speaking at a news conference at the State Department on April 29, 2020, in Washington,DC. - US Secretary of State Mike Pompeo said May 3, 2020 that there was "enormous evidence" that the coronavirus pandemic originated in a laboratory in Wuhan, China. "There is enormous evidence that this is where it began," he said on ABC's "This Week."But while highly critical of China's handling of the matter, Pompeo declined to say whether he thought the virus had been intentionally released. (Photo by Andrew Harnik / POOL / AFP)
Covid-19. Pompeo diz que há “imensas provas” de que coronavírus vem de laboratório em Wuhan
“Existem imensas provas de que foi de lá que partiu”, insistiu o secretário de Estado dos Estados Unidos numa entrevista à emissora ABC

No início deste mês, o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, pediu uma "investigação" para aprofundar a teoria de o novo coronavírus ter sido transmitido aos humanos a partir de um animal, no mercado da cidade onde são vendidos animais selvagens vivos, a alguns quilómetros de distância das instalações do instituto.

Essas suspeitas são "pura fabricação", disse a diretora do instituto chinês, Wang Yanyi, numa entrevista realizada em 13 de maio e transmitida sábado à noite pela televisão pública CGTN.

A responsável do instituto adiantou que, tal "como o resto do mundo", desconhecia que o vírus existia e questionou: "Então, como poderia ele [o vírus] ter escapado do nosso laboratório?".

Wang Yangi admitiu que o instituto "isolou e obteve certos coronavírus de morcegos", num total de "três tipos de vírus vivos", mas cuja semelhança com a covid-19 "é de apenas 79,8%".

Investigadores do instituto de virologia de Wuhan, que estudam alguns dos patógenos mais perigosos do mundo, numa publicada em fevereiro numa revista científica, revelaram que a sequência do genoma do novo coronavírus é 80% semelhante à da SARS, que causou uma epidemia anterior em 2002-29933, e 96% à de um coronavírus de morcego.

A doença covid-19 é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 339 mil mortos e infetou mais de 5,2 milhões de pessoas em 196 países e territórios.


Covid-19. Luxemburgo continua sem óbitos já há cinco dias
Nas últimas 24 horas registaram-se nove casos de novas infeções, o que perfaz um total de 3990 doentes infetados desde o início da epidemia no país.

No Luxemburgo, desde terça-feira passada que não se regista nenhum caso fatal de morte devido à covid-19. Contudo, o número de novos casos de infeções aumentou relativamente aos números de ontem, embora permaneça estável.

Mesmo assim, o número de infeção ativa diminuiu um ponto, para 123, sexta-feira eram 124 e 10 doentes tiveram foram considerados tratados, nas últimas 24 horas. O número de pessoas curadas é agora 3.758. 

Em Portugal, morreram 1.302 pessoas das 30.471 confirmadas como infetadas, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas