Escolha as suas informações

Covid-19. Bélgica quer dar terceira dose da vacina já este ano
Mundo 2 min. 16.05.2021

Covid-19. Bélgica quer dar terceira dose da vacina já este ano

Covid-19. Bélgica quer dar terceira dose da vacina já este ano

AFP
Mundo 2 min. 16.05.2021

Covid-19. Bélgica quer dar terceira dose da vacina já este ano

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
Até ao final deste ano, os residentes na Bélgica poderão começar a receber uma terceira dose da vacina, anunciam os peritos. Na Alemanha, o reforço só deverá chegar para o ano.

A necessidade de administrar uma terceira dose da vacina contra a covid para reforçar a imunidade é cada vez mais unânime entre a comunidade médica e científica a nível mundial. 

A Bélgica e a Alemanha estão já a estudar esta terceira dose. Os cientistas da Task Force belgas, o grupo de trabalho que estuda a covid e a vacinação no país preparam já a terceira dose para começar a ser dada o mais rápido possível, até ao final do ano.

"Estimamos que precisamos de iniciar esta terceira dose até ao final deste ano. E certamente em 2022, ofereceremos uma terceira dose a todos", declarou esta manhã Dirk Ramaekers, presidente da Task Force Vacinação na Bélgica aos microfones da RTL belga. Este reforço pode ser dado por médicos de clínica geral, enfermeiros ou farmacêuticos, e numa primeira fase destina-se apenas aos grupos de alto risco explicou o responsável.

 "Esta injeção adicional é um reforço da imunidade da vacina". As vacinas atuais possuem uma eficácia que "será de seis a 12 meses", precisou Ramaekers, que está atualmente a trabalhar nos detalhes práticos desta terceira injeção. 

AFP

Alemanha: Nova dose para o ano

Também a Alemanha estuda já esta possibilidade. “Em princípio, devemos preparar-nos para que, provavelmente, no próximo ano todos tenhamos de refrescar a nossa proteção imunológica”, admitiu hoje o  presidente da Comissão Permanente de Vacinação (Stiko) alemã, Thomas Mertens, numa entrevista publicada pela imprensa do grupo Funke.


Covid-19. "Quanto mais cedo as crianças começarem a ser vacinadas melhor"
Ainda se conhece mal como o SARS-CoV-2 afeta as crianças. O estudo nacional Predi-Covid vai ser ampliado à população mais nova do Luxemburgo. O investigador Guy Fagherazzi explica ao Contacto os objetivos da investigação e defende a vacinação pediátrica.

No entanto, a Alemanha ainda não tomou qualquer decisão a esse respeito, estando a aguardar os estudos imunitários que estão a ser efetuados na população já vacinada.

Os responsáveis sanitários dos governos alemão e dos estados federados apenas seguem as recomendações da Stiko.

AFP

Novas variantes

Também em declarações à imprensa do mesmo grupo de comunicação social, o especialista para os assuntos de Saúde do Partido Social Democrata (PSD), Karl Lauterbach, assinalou que, aparentemente, a imunidade dada pela vacina dura cerca de seis meses.

Mertens alertou para o facto de poder ser necessária, com urgência, uma terceira dose se surgirem variantes para as quais as vacinas sejam ineficazes.


Covid-19. Mesmo que já esteja vacinado tem de apresentar um teste negativo à chegada ao Findel
Todos os estrangeiros e residentes que regressarem por via aérea ao Luxemburgo e que já receberam as duas doses da vacina continuam a ter de fazer teste de rastreio negativo.

Se assim for, prosseguiu, será necessário adaptar essas fórmulas às mutações e vacinar novamente os imunizados, dando como exemplo as vacinas da AstraZeneca e Johnson & Johnson, “que se mostraram menos eficazes com a variante detetada pela primeira vez na África do Sul. 

As empresas farmacêuticas Pfizer e BioNTech, também já anunciaram que poderá ser necessária uma terceira dose da sua fórmula para fortalecer a imunidade.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas