Escolha as suas informações

Covid-19. Alemanha é o quarto país com mais doentes mas continua com menos mortes
Mundo 9 3 min. 21.03.2020

Covid-19. Alemanha é o quarto país com mais doentes mas continua com menos mortes

Covid-19. Alemanha é o quarto país com mais doentes mas continua com menos mortes

AFP
Mundo 9 3 min. 21.03.2020

Covid-19. Alemanha é o quarto país com mais doentes mas continua com menos mortes

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
Angela Merkel vai decidir se decreta estado de emergência. Especialistas tentam descobrir porque este país tem poucas vítimas mortais em relação a outros países, como França e Itália, face aos número de infetados no país.

A Alemanha regista 16.662 casos do novo coronavírus no país, um aumento de 2.705 em relação ao dia anterior, revela o Instituto Robert Koch, entidade responsável pela prevenção e controlo de doenças. 

Segundo números oficiais, houve ainda 47 vítimas mortais com a Covid-19, com os estados federados da Renânia do Norte-Vestefália, Baviera e Bade-Vurtemberga a serem os mais afetados.

Na sexta-feira, a Baviera, que regista nesta altura 2.960 casos, e que já tinha decretado o estado de emergência, impôs o confinamento da população. Seguiu-se o estado do Sarre.

AFP

Merkel decide este fim de semana

O Governo de Angela Merkel decide este fim de semana se o país decreta estado de emergência em todo o território para combater a pandemia.

A Alemanha é o terceiro país da Europa com mais infetados e o quarto no mundo, ultrapassado apenas pela China, Itália e Espanha.

Apesar do número de pessoas infetadas, este país continua com uma taxa de letalidade muito baixa, em relação ao outros países europeus. 


Merkel: "60% a 70% dos alemães vão ser infetados com coronavírus"
As declarações da chanceler alemã foram feitas depois de ouvir as estimativas de vários especialistas.

Encontrar causas de baixa letalidade

A taxa de letalidade do Covid-19 é calculada através da divisão do número de vítimas mortais da doença pelo número de doentes confirmados. Na Alemanha esta taxa é de 0,3%, contra os 3,6% da França, os 4% da China e os 8,5% de Itália.

 Por que é que a doença tem causado menos mortes na Alemanha?

 "É difícil para já encontrar uma resposta [...] Não temos uma resposta real, sendo que provavelmente se trata de uma combinação de fatores diferentes, admitiu esta semana Richard Pebody, chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS), sobre o baixo número de mortos pelo Covid-19 na Alemanha. 

Testes a mais de 35 mil pessoas 

O grande número de testes realizados entre a população nas fases iniciais da epidemia e o sistema de saúde eficaz para receber os doentes poderão ser uma ou duas das explicações, mas não as suficientes, de acordo com especialistas citados na imprensa alemã e francesa. 

Segundo a Federação de Médicos da Alemanha, 35 mil pessoas foram testadas durante a semana de dois de Março, quando ainda a doença não tinha feito nenhuma vítima mortal na região do Reno. Na semana seguinte, foram realizados testes de despistagem a 100 mil pessoas. A estes milhares de testes há que adicionar os realizados nos hospitais e clínicas que não estão contabilizados.

Hospitais bem preparados

Ao nível das condições hospitalares, a Alemanha possui 25 mil camas com assistência respiratória nas unidades de cuidados intensivos nos hospitais do país. A Alemanha está particularmente bem equipada em comparação aos seus vizinhos europeus, como por exemplo, a França que conta com certa de sete mil camas já praticamente lotadas e a Itália, com apenas cinco mil, já sem camas livres, refere o Ouest France.

Além de que, Angela Merkel já anunciou na semana passada que irá duplicar este número de camas nos cuidados intensivos durante as próximas semanas.


Covid-19. Portugueses estão calmos mas já não dão apertos de mão na Alemanha
Um imigrante de Heinsberg, o distrito com mais casos de infeção naquele país, conta ao Contacto como a comunidade portuguesa está a reagir nesta cidade em quarentena.

Também os hospitais alemães não prevêem ficar lotados de doentes com Covid-19 num futuro próximo, como já acontece em Itália, onde a situação é catastrófica e na região Grand Est, da França, a mais afetada do país. 

Doentes identificados rapidamente

 Por outro lado, na Alemanha, e até agora os doentes têm sido identificados e acompanhados clinicamente com rapidez. 

Contudo, só quando a crise passar é que se conseguirá apurar com rigor porque neste país vizinho do Luxemburgo, a doença tem feito menos vítimas mortais.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas