Escolha as suas informações

Coronavírus. Primeiro grande estudo revela que mais velhos e pessoas doentes correm mais risco
Mundo 2 min. 18.02.2020 Do nosso arquivo online

Coronavírus. Primeiro grande estudo revela que mais velhos e pessoas doentes correm mais risco

Coronavírus. Primeiro grande estudo revela que mais velhos e pessoas doentes correm mais risco

AFP
Mundo 2 min. 18.02.2020 Do nosso arquivo online

Coronavírus. Primeiro grande estudo revela que mais velhos e pessoas doentes correm mais risco

Mais de 80% dos casos de infetados confirmados têm sido de risco moderado, mas há grupos particularmente vulneráveis.

As autoridades de saúde chinesas divulgaram o primeiro grande estudo desde o surto do novo coronavírus, que começou no final de 2019, na província de Hubei, na China continental.

O relatório do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CCPD) chinês, que analisa os mais de 44 mil casos de registados de infeção pelo vírus Covid-19 (nome entretanto atribuído ao novo coronavírus), conclui que mais de 80% destes têm sido de risco moderado, afetando com maior gravidade pessoas com doença e os mais idosos.

Em 13.8% dos casos o risco é elevado e em 4,7% crítico. O número de mortes entre os infetados mantém-se baixo, mas sobe naqueles que têm idades superiores a 80 anos.


Coronavírus. Sobe para 1.868 o número de mortos na China continental
Foram registados também 1.886 novos casos de infeção, num total de 72.436 infetados.

Pessoas com patologias, como doenças cardiovasculares, diabetes, doenças respiratórias crónicas e hipertensão, também estão no grupo dos mais vulneráveis ao vírus.

O elevado risco para os profissionais de saúde é outra das conclusões do documento, que é dado a conhecer um dia antes da morte, por infeção do Covid-19, do diretor do hospital de Wuchang, em Wuhan  - cidade considerada o epicentro do vírus e capital da província de Hubei, que concentra o maior número de casos de infetados e de vítimas mortais.

Segundo o relatório, cerca de 3019 profissionais de saúde foram infetados e destes 1716 foram confirmados. Até ao passado dia 11 fevereiro, data de conclusão da pesquisa, cinco tinham morrido, o que deixa de fora o caso do diretor do hospital de Wuhan.

O registo de mortes é atualizado, praticamente, todos os dias, pelas autoridades chinesas, que hoje anunciaram a subida do número oficial de mortos para 1.868 e mais 1.886 novos casos de infeção, num total de 72.436 infetados.

Taxa de mortalidade de 2,3%

Apesar de continuar a crescer o número de vítimas mortais, o relatório do CCPD chinês, citado pela BBC, revela que a taxa de mortalidade geral, por este coronavírus, é de 2,3%, com algumas variantes regionais: é de 2,9% em Hubei e de 0,4% no resto da China.


Coronavírus. Reformados de Macau angariam máscaras em Portugal, Canadá e Austrália
A Associação dos Aposentados, Reformados e Pensionistas de Macau que prevenir dificuldades futuras. A ajuda traduz-se ainda no transporte ao hospital e no apoio médico e de enfermagem.

Homens mais vulneráveis

A mortalidade por infeção do coronavírus Covid-19 atinge mais os homens que as mulheres.

O relatório aponta para que nas pessoas do sexo masculino a taxa seja de 2,8%, enquanto nas mulheres é de 1,7%.

Mais de 12 mil recuperados

Ainda não há muitas informações sobre o que acontece às pessoas que foram infetadas com o vírus e recuperaram. Mas o relatório dá conta de que, pelo menos, mais de 12 mil pessoas ultrapassaram a doença, que é altamente viral e contagiosa, sendo transmitida entre humanos e durante o período de incubação e sem manifestação de sintomas.

Alguns cientista alertam, contudo, que os números poderão ser diferentes, uma vez que os dados oficiais referem-se apenas àqueles que foram registados pelas autoridades.

AT


Notícias relacionadas