Escolha as suas informações

Coronavírus. Itália encerra escolas e locais públicos devido a 16 casos confirmados
Mundo 2 min. 21.02.2020

Coronavírus. Itália encerra escolas e locais públicos devido a 16 casos confirmados

Coronavírus. Itália encerra escolas e locais públicos devido a 16 casos confirmados

Mundo 2 min. 21.02.2020

Coronavírus. Itália encerra escolas e locais públicos devido a 16 casos confirmados

Ao todo são 10 cidades, na Lombardia e Veneto, que fecharam todos os locais públicos como as escolas e pediram às pessoas para ficar em casa.

Pelo menos nove cidades na Lombardia e uma no Veneto, norte da Itália, vão ter durante uma semana as escolas, bares e outros lugares públicos encerrados, devido à confirmação de 16 casos de pessoas infectadas com o novo coronavírus, anunciaram fontes oficiais. Outras 250 pessoas estão em observação.

A decisão de encerrar a partir desta sexta-feira os locais públicos foi tomada pelo Ministério da Saúde de acordo com as duas regiões envolvidas, uma vez que um primeiro surto italiano foi identificado no Codogno, perto de Lodi. 

No total, nas cidades da Lombardia, mais de 50 mil pessoas foram aconselhadas a ficar em casa e não sair à rua. 

Antes da medida ministerial, o presidente da comuna de Codogno, Francesco Passerini, já tinha ordenado o encerramento imediato de escolas, locais municipais, restauração, bares, discotecas, locais de desporto entre outros. 

O responsável desta região com 15 mil habitantes justificou a sua decisão através da "situação de alarme" gerada com a  descoberta dos seis primeiros casos de contágio pelo novo coronavírus. 

14 casos suspeitos

Ao início da noite, o ministro Roberto Speranza anunciou que o número de casos tinha aumentado para 14 pessoas, número de doentes cujos testes se revelaram positivos para coronavírus, na Lombardia, em todo o Codogno. 

Contudo, nem todos eles fizeram ainda o teste de confirmação. No Veneto, segundo o presidente da região, Luca Zaia, duas pessoas deram positivo para o coronavírus e uma está nos cuidados intensivos. Mas o ministério disse que estes casos não foram confirmados. 

O primeiro caso do Codogno, um executivo italiano da Unilever, de 38 anos, está nos cuidados intensivos. A sua esposa grávida de oito meses, um amigo com quem praticou desporto e três pessoas que frequentaram um pequeno bar local estão entre os casos confirmados. 

As autoridades sanitárias da Lombardia não conseguiram identificar o primeiro doente que gerou o surto, mas suspeitam que tenha sido um italiano que regressado recentemente da China quem jantou várias vezes com o homem hospitalizado. As autoridades realizaram testes médicos para deteção do coronavírus aos 60 funcionários da sede local da Unilever, em Casalpusterlengo.

Na Itália, seis casos do novo coronavírus já foram confirmados, sem contar os três do Codogno que ainda não foram submetidos a um segundo teste. Os três primeiros, tratados no hospital italiano de referência para doenças infecciosas, o Spallanzani, em Roma, estão cada vez melhor. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas