Escolha as suas informações

Coronavírus. Cinco cidades chinesas encerradas para prevenção de contaminação
Mundo 2 min. 23.01.2020 Do nosso arquivo online

Coronavírus. Cinco cidades chinesas encerradas para prevenção de contaminação

Coronavírus. Cinco cidades chinesas encerradas para prevenção de contaminação

Foto: AFP
Mundo 2 min. 23.01.2020 Do nosso arquivo online

Coronavírus. Cinco cidades chinesas encerradas para prevenção de contaminação

Ana B. Carvalho
Ana B. Carvalho
Depois do encerramento de Wuhan, capital da província de Hubei e possível local da origem do surto de coronavírus, o governo Chinês mandou colocar sob quarentena mais quatro cidades, numa tentativa de conter propagação do vírus.

Cinco cidades encerradas, 18 vítimas mortais e um ano novo lunar em casa. Depois do encerramento de Wuhan, capital da província de Hubei com cerca de 11 milhões de habitantes e que se considera ser o possível local da origem do surto de coronavírus, o governo Chinês mandou colocar sob quarentena mais quatro cidades, numa tentativa de conter propagação do vírus. 

 As autoridades proibiram as ligações de transporte de Wuhan, levando ao encerramento do aeroporto e à suspensão dos transportes públicos. Mais tarde, as cidades chinesas centrais de Huanggang e Ezhou anunciaram medidas semelhantes. Também foram impostas restrições de viagem nas cidades menores de Chibi e Zhijiang.

 A circulação de autocarros, metro e ferries foi suspensa e não há naquelas cidades aviões de passageiros a levantar voo. A partir da meia-noite, os autocarros de longa distância deixaram de circular, e de acordo com um aviso do governo local o sistema de trânsito e a estação de comboios em Huanggang foram encerrados. 

 A Comissão Nacional de Saúde da China informou que uma pessoa infectada com o vírus transmitiu a doença a 14 cuidadores de saúde, levando os cientistas a mostrar preocupação com o facto da transmissão do novo coronavírus poder acelerar drasticamente , graças aos "super contaminadores” que transmitem a doença a um grande número de pessoas com quem entram em contacto. 


Coronavírus. OMS não declara emergência global para já
O comité de emergência formado por médicos especialistas de vários países considerou ser "demasiado cedo" para lançar um alerta internacional para o "2019 – nCoV", que causa pneumonias virais.

Segundo o jornal britânico The Guardian, as autoridades chinesas estão a impor medidas de prevenção em cinco cidades num esforço sem precedentes para conter o surto do novo vírus mortal que já afectou centenas de pessoas e se alastrou a outras partes do mundo. 

 Entre os locais com casos registados está a Taiwan, na Coreia do Sul, Tailândia, Japão, Macau e Hong Kong. Também nos Estados Unidos houve o registo de um caso e o governo escocês confirmou que cinco pessoas estão a ser testadas com suspeita de coronavírus após terem viajado para a China. 


Luxemburgo prepara-se para o surto de coronavírus
Governo já ativou procedimentos para prevenir possível impacto do vírus que já matou 18 pessoas na China e deixa recomendações para os viajantes

 A Comissão Nacional de Saúde da China informou que uma pessoa infectada com o vírus transmitiu a doença a 14 cuidadores de saúde, levando os cientistas a mostrar preocupação com o facto da transmissão do novo coronavírus poder acelerar drasticamente , graças aos "super contaminadores” que transmitem a doença a um grande número de pessoas com quem entram em contacto. 

O novo coronavírus pertence à família do vírus do Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars), que entre 2002 e 2003 espalhou-se a partir da China e matou cerca de 800 pessoas. 

Na altura, as autoridades chinesas foram acusadas de negligência, tendo falhado medidas de contenção adotadas internacionalmente, e inclusive sonegaram informação à Organização Mundial de Saúde (OMS). Mas neste novo surto, Pequim está a tomar medidas robustas para combater uma possível propagação em massa. E os seus esforços têm sido elogiados pelos técnicos desta agência da ONU.


Notícias relacionadas

Surto de pneumonia na China faz mais dois mortos
O número de vítimas mortais de um novo tipo de pneumonia na China subiu hoje para seis, com a morte de mais dois pacientes, enquanto o número total de infetados ascendeu a 291, revelaram as autoridades.