Escolha as suas informações

Conselheiros de portugueses na Europa apelam a voto nas europeias e legislativas
Mundo 2 min. 02.03.2019

Conselheiros de portugueses na Europa apelam a voto nas europeias e legislativas

Nas eleições para o parlamento europeu de 2014, dos 244.986 eleitores portugueses inscritos em todo o mundo, em 71 consulados, apenas 5.129 votaram.

Conselheiros de portugueses na Europa apelam a voto nas europeias e legislativas

Nas eleições para o parlamento europeu de 2014, dos 244.986 eleitores portugueses inscritos em todo o mundo, em 71 consulados, apenas 5.129 votaram.
Foto: Pierre Matgé
Mundo 2 min. 02.03.2019

Conselheiros de portugueses na Europa apelam a voto nas europeias e legislativas

A presidente do Conselho Regional da Europa do Conselho das Comunidades Portuguesas apelou hoje ao voto dos emigrantes nas próximas eleições europeias e legislativas, para "mostrar o interesse" da emigração por Portugal.

"A mensagem é votar, aproveitar este direito que conseguimos alcançar e mostrar que nos interessamos por Portugal e pela nossa vida lá fora, pela vida dos nossos filhos", afirmou Luísa Semedo, no final da reunião anual do Conselho Regional da Europa do Conselho das Comunidades Portuguesas, no Ministério dos Negócios Estrangeiros, em Lisboa.

Luísa Semedo sublinhou ainda que os emigrantes podem expressar "o sentimento de filiação à Pátria" no exercício do voto nas eleições europeias, em 26 de maio, e das legislativas, em 06 de outubro.

Nas eleições para o parlamento europeu de 2014, dos 244.986 eleitores portugueses inscritos em todo o mundo, em 71 consulados, apenas 5.129 votaram, a que correspondeu 2,09 por cento do universo de votantes.

Já na região Europa, somente 1.728 portugueses registados nos cadernos eleitorais votaram de entre os 80.932 eleitores inscritos em 29 consulados.

Ressalvando a importância do Conselho das Comunidades Portuguesas (CPP), por estar "acessível aos emigrantes", Luísa Semedo assinalou que "os portugueses não têm como chegar a quem os governa, a quem pode mudar as suas vidas".

Luísa Semedo, que foi reconduzida hoje na presidência, fez um "balanço positivo" da reunião anual do Conselho Regional da Europa, com encontros com o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, deputados e elementos representativos da sociedade civil, CGPT e Observatório da Emigração.

Entre os temas abordados na reunião do Conselho Regional da Europa do CPP estiveram o ‘Brexit’, o atraso na atribuição de pensões a emigrantes com carreira contributiva em Portugal, o ensino da língua portuguesa e a nova lei eleitoral.

"Uma das conclusões foi a de que há vários problemas que se têm arrastado ao longo destes anos e que não têm ainda solução. Continuamos a batalhar nas mesmas questões de há dez ou 20 anos. Não há vontade política", frisou, destacando os problemas orçamentais do CPP e do ensino de português.

Nesta última área, "não se tem conseguido uma continuidade no ensino, desde o pré-escolar ao liceu".

Na eleição realizada hoje, Luísa Semedo foi reeleita para um mandato de um ano, com a unanimidade dos votos dos conselheiros de Alemanha, Andorra, Bélgica, França, Reino Unido, Luxemburgo, Suécia e Suíça.

O conselheiro das comunidades portuguesas na Suécia, Amadeu Batel, foi eleito secretário do Conselho Regional da Europa do Conselho das Comunidades Portuguesas.

Lusa

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

“Já não há razão para que as pessoas não participem nas eleições portuguesas"
Votar nas eleições portuguesas vai passar a ser mais simples, também para os portugueses no Luxemburgo. Com as novas mudanças, o recenseamento dos portugueses no estrangeiro vai ser automático, mas não obrigatório. O voto por correspondência vai passar a ser gratuito, mas há mais novidades. As mudanças vão aumentar o número de potenciais votantes, sem que os cidadãos tenham de se deslocar ao consulado.
Visite du secrétaire d’État portugais José Luís Carneiro au Luxembourg, le 30 Septembre 2018. Photo: Chris Karaba