Escolha as suas informações

Coalas transferidos para a Nova Zelândia? Milhares assinaram a petição para a "preservação da espécie"
Mundo 13.01.2020 Do nosso arquivo online

Coalas transferidos para a Nova Zelândia? Milhares assinaram a petição para a "preservação da espécie"

Coalas transferidos para a Nova Zelândia? Milhares assinaram a petição para a "preservação da espécie"

AFP
Mundo 13.01.2020 Do nosso arquivo online

Coalas transferidos para a Nova Zelândia? Milhares assinaram a petição para a "preservação da espécie"

Teresa CAMARÃO
Teresa CAMARÃO
Ameaçados pelos incêndios florestais que, desde setembro, estão a varrer a Austrália, os coalas podem ser transferidos para a Nova Zelândia. O objetivo da petição é preservar a espécie que já entrou em vias de extinção.

Estima-se que cerca de 8.400 coalas tenham morrido nas chamas que, desde setembro, estão a dizimar centenas de espécies da fauna e flora australiana. As imagens dos marsupiais queimados estão a chocar as redes sociais. Sucedem-se vídeos dos salvamentos e apelos à preservação da espécie que entrou para a lista da eventual extinção ainda no ano passado. 

A preocupação deu origem a uma petição. Mais de 7.500 já assinaram o abaixo-assinado com vista à transferência dos animais para a vizinha Nova Zelândia. A iniciativa da associação "Sociedade para a Transferência dos Coalas" sugere que os marsupiais possam encontrar nos mais de 30 mil hectares de eucaliptos do país dos All Blacks um novo lar. 

Do lado de lá, a primeira ministra neozelandesa já se pronunciou. Em entrevista ao canal público de televisão, uma porta-voz de Jacinta Arden assegurou que o objetivo do governo é, para já, ajudar a Austrália a controlar os fogos florestais para que os coalas "permaneçam no seu habitat natural". Do nosso ponto de vista, precisamos ajudar a Austrália e não se trata apenas de coalas, mas também de outras espécies ameaçadas de fogo". 

Lembra ainda que a introdução de novas espécies na Nova Zelândia coloca sérios riscos ao equilíbrio das espécies daquele país. 

Um dos veterinários que compõe a equipa de cientistas do Jardim Zoológico de Wellington subscreve. 

O governo australiano mantém, para já, que no total 480 mil animais tenham morrido nos últimos meses, fruto não só dos incêndios como da destruição do seu habitat natural. Um estudo da Universidade de Sydney fala em mais de mil milhões.