Escolha as suas informações

Clima. Milhares de jovens manifestam-se em Berlim para exigir mais do Governo
Mundo 10 22.10.2021
Alterações climáticas

Clima. Milhares de jovens manifestam-se em Berlim para exigir mais do Governo

Alterações climáticas

Clima. Milhares de jovens manifestam-se em Berlim para exigir mais do Governo

Foto: Philipp Znidar/dpa
Mundo 10 22.10.2021
Alterações climáticas

Clima. Milhares de jovens manifestam-se em Berlim para exigir mais do Governo

Lusa
Lusa
O movimento exige que o objetivo de abandono do carvão em 2030 deve ser juridicamente contratualizado e que a poderosa indústria automóvel alemã pare, até 2025, de construir veículos cujos motores queimem combustíveis fósseis.

Milhares de jovens ativistas pelo clima reuniram-se hoje no centro de Berlim para pressionar o Governo que sucederá à coligação de Angela Merkel a tomar medidas fortes contra as alterações climáticas.


Planos para produção de combustíveis fósseis "excedem largamente" os limites climáticos
Apesar das crescentes promessas de acção de muitas nações, os governos ainda não fizeram planos para reduzir a produção de combustíveis fósseis, apontou o relatório das Nações Unidas.

O movimento "Fridays for Future" (sextas-feiras pelo futuro) convocou esta marcha entre a Porta de Brandemburgo e a sede do Governo um mês antes das eleições legislativas de 26 de setembro.

Empunhando cartazes com frases como "Faz amor, não CO2" ou "A neve deve continuar", os manifestantes gritaram "O nosso futuro não é um objeto de negociação!", numa referência às conversações em curso para formar a próxima coligação governamental.

Os sociais-democratas, vencedores das eleições, tentam formalizar uma aliança com os ecologistas e o partido liberal FDP, com o objetivo de instalar até ao início de dezembro um novo Governo dirigido pelo centrista Olaf Scholz (SPD).

Na semana passada, os partidos alcançaram um acordo preliminar que prevê, nomeadamente, a neutralidade carbónica até 2045 e acelerar o abandono do carvão até 2030.

Mas para a porta-voz do "Fridays for Future" na Alemanha, Luisa Neubauer, as medidas previstas são "insuficientes" para respeitar os compromissos internacionais de Berlim em matéria de redução das emissões, “após anos de ações dececionantes dos governos de Merkel”.


O mundo larga o vício do petróleo em 2025, mas é cedo para saber se catástrofe climática é evitada
Fatih Birol, diretor da Agência Internacional de Energia, diz que a meta de 1.5 C de aquecimento é atingível, se forem triplicados os investimentos nas renováveis e se os países aumentarem as suas ambições na COP26, a conferência do clima, em novembro.

O movimento exige que o objetivo de abandono do carvão em 2030 deve ser juridicamente contratualizado e que a poderosa indústria automóvel alemã pare, até 2025, de construir veículos cujos motores queimem combustíveis fósseis.

Hoje, os manifestantes mostraram-se particularmente frustrados com o facto de os liberais terem desvalorizado uma proposta dos Verdes para introduzir um limite de velocidade nas autoestradas do país. O nome do líder do FDP, Christian Lindner, foi vaiado.

"É uma coisa quase sem custos e que faria uma grande diferença",lamentou Larena Dix, 23 anos, estudante de arquitetura em Dresden, que se juntou à manifestação na capital.

A amiga Celine Schneider, estudante de direito, implorou, por sua vez, aos Verdes para "não desistirem" nas negociações com os parceiros.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Salário mínimo de 12 euros por hora, planos para legalizar a venda regulamentada de canábis, possibilidade de votar a partir dos 16 anos e o objetivo de construir 400 mil novos apartamentos por ano para combater a crise habitacional são algumas das intenções da nova coligação.
Eleições na Alemanha
Após 16 anos de reinado de Merkel, a Alemanha acordou esta segunda-feira vulnerável, dividida. E confusa. Os alemães distribuíram os votos por todo o espectro político numa tentativa de eleger aquele que será o próximo governo da República Federal. As negociações pós eleitorais prometem ser duras e demoradas.